sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Lendas Xamânicas - A mulher que caiu do céu


Muito antes de os homens habitarem a Terra, já viviam no Céu. Com efeito, por cima da abóbada celeste, existia outro mundo, onde se podiam ver florestas povoadas de animais selvagens, lagos, rios e aldeias onde se reuniam os homens. Numa delas, vivia uma jovem chamada Ataensic.

Todos os dias Ataensic saia da aldeia para ir trabalhar nos campos, em companhia do cão. Este de faro apurado, gostava de desalojar os animais de caça que se aventuravam por aquelas paragens. Naquele dia, Ataensic, ocupada a pegar ervas daninhas, foi surpreendida por grunhidos vindos de uma pequena moita: preocupada, ela chamou o cão, mas este correu direto ao bosque, desaparecendo. Logo a seguir, Ataensic ouviu latidos violentos, enquanto uma pesada massa acastanhada surgia da sombra das árvores: um urso... com o cão atrás dele! Mesmo amedrontada, Ataensic seguiu-lhes o rastro. Alcançou-os à beira de um precipício. O urso, de costa para o precipício, enfrentava o adversário que ladrava raivosamente: o animal selvagem não poderia escapar! O cão preparou o salto e pegou-o pelo pescoço... caíram ambos pela ribanceira.

Ataensic soltou um grito de horror e aproximou-se da beira do precipício, na esperança de que um ramo ou um rochedo tivessem retido o cão: debruçou-se, mas não viu nada, nem sequer o fundo do precipício. Intrigada, debruçou-se um pouco mais, perdeu o equilíbrio e desapareceu por sua vez no vazio. Foi caindo durante muito, muito tempo... Sem saber, Ataensic acabava de entrar por uma brecha aberta na abóbada celeste.

Lá longe, muito abaixo do mundo de onde caíra a jovem, estendia-se um imenso oceano: nenhuma ilha, nenhum rochedo se avistava, nenhuma margem o delimitava. No entanto, não se encontrava deserto: era aí que viviam as tartarugas, os castores, os ratos almiscarados e toda a espécie de animais aquáticos.

Foi uma tartaruga quem primeiro avistou Ataensic.

Ainda esta não passava de um minúsculo ponto no céu, quando a tartaruga se apercebeu de que estava acontecendo algo extraordinário.

- Que maravilha será esta? - exclama ela, excitadíssima com a curiosidade. Com grande alarido, esforçou-se por reunir os companheiros:

- Venham depressa! Venham depressa! Vejam o que caiu do céu!

A tartaruga era célebre pela sua calma e grande sabedoria. Os outros animais compreenderam que se tratava de um caso importante. Que fazer do ser desconhecido que caíra do céu? Como recebê-lo? Todos consideraram que esta criatura vinda das regiões aéreas não devia saber nadar e que certamente se afogaria. Como salvá-la? Falavam todos ao mesmo tempo. Enquanto deliberavam, Ataensic aproximava-se perigosamente da superfície do oceano. Então o castor, batendo com a cauda na água, impôs o silêncio. E dirigiu-se à tartaruga:

- Tu és a mais velha e a mais sensata de todos nós - disse-lhe ele. - Acataremos a sua decisão.

- Ajamos sem perda de tempo! - respondeu a tartaruga. - Vamos construir uma superfície sólida para que este estranho animal possa pousar. Mergulhem rapidamente até o fundo do oceano e tragam toda a terra que conseguirem.

E assim foi. O rato almiscarado e a lontra fizeram várias incursões aos abismos marinhos; com a ajuda da larga cauda achatada, o castor soltava a terra que os outros amontoavam sobre o casco da tartaruga.

Foi daí, depois de pronto, que as aves aquáticas se elevaram ao encontro de Ataensic: seguraram-na com os bicos e conduziram-na na queda, pousando cautelosamente no terreno sólido preparado para o pouso dela. Assim, a jovem caída do céu pousou sem se machucar.

A ilha construído pelas animais foi a primeira parcela de terra do nosso planeta, e Ataensic o primeiro ser vivo nele surgido. Mais tarde, a pequena ilha aumentou e estendeu-se para todos os lados, de tal modo que acabou por cobrir uma grande parte do oceano.

Ataensic deu à luz uma filha, que por sua vez, veio a ser mãe de dois rapazes gêmeos, filhos do vento oeste.

Organizaram ambos o mundo terrestre, mas, devido aos seus temperamentos opostos, fizeram-no de cada um a seu modo: um criou o que é bom para o homem, o verão, a luz, a chuva fertilizante; o outro gerou o frio, a seca, as trevas.

Os dois gêmeos e a avó Ataensic são os antepassados míticos de várias tribos da América do Norte.







LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...