sábado, 8 de outubro de 2011

Orientalismo V - Yoguismo - Parte IV - Outros ramos da Yoga


OUTROS RAMOS DE YOGA:


YANTRA-YOGA:

A Geometria Divina
Escrito por Kátea Miranda Barros 
Tradição do Yoga - Georg Feurstein

Buscando sempre a simplicidade da compreensão e a reconstituição de um vínculo efetivo com o sagrado, todas as formas cósmicas podem ser reduzidas a um número definido de figuras geométricas primárias. Reconhece-se nesses elementos um valor simbólico fixo. Quando se combinam, considera-se que expressam as qualidades particulares que se incorporam em certos aspectos da criação.

Estabelecer o yantra dentro de si por meio da visualização e da concentração intensas. Tem de construir na própria mente um vívido modelo tridimensional do yantra. Perceber pela experiência que seu corpo é, na realidade, idêntico à forma do yantra.

Trata-se de um processo difícil e prolongado.

O yantra construído na mente tem de se tornar uma experiência tão intensa que parece algo vivo. Quando o praticante alcança o êxito nessa obra interna, o yantra se torna um campo de força vibrante que absorve completamente a sua atenção. Com o tempo, ele já não sabe se é o Yantra que está dentro dele ou ele que está dentro do yantra. Seus sentidos já não registram os estímulos externos e a pessoa vive completamente dentro de seu mundo interno. Por fim, ela toma consciência da própria divindade (isto é, a força criativa personalizada) do yantra.

Êxito na visualização e na concentração. Pode ser imaginado a partir do ponto central (bindu) para fora, de acordo com o processo de evolução cósmica; ou pode ser visualizado da circunferência exterior em direção meditativa (ou involução). Bindu (gota) representa aquele ponto do espaço e do tempo em que qualquer objeto chega à manifestação. O bindu se situa entre a manifestação e o não-manifesto, entre o ato e a potência.

Uma vez que o yantra visualizado internamente não é outra coisa senão o próprio corpo-mente do praticante.

Dissolver progressivamente o yantra – dos elementos externos em direção aos internos. Como o yantra é identificado ao próprio complexo psicossomático do praticante, essa dissolução do seu mundo interno. Quando a consciência se reduz à unidade do bindu, ocorre uma mudança radical. O yogin ou yoginî se identifica com a Realidade última, super-consciente, onipresente e eterna. Assim, o yantra é somente um instrumento para reduzir aos poucos as complexidades da mente até que se recupere a simplicidade da Realidade, do Si Mesmo transcendente. Essa recuperação é a iluminação. 


KUNDALINI YOGA

Kundalini Yoga é a uma ciência que originou inúmeras outras formas de yoga. Kundalini é o nosso potencial maior, esta é a razão pela qual também é chamado de yoga da consciência. O sistema do Kundalini Yoga foi por muito tempo aprimorado na Índia e data do período pré-ariano, portanto matriarcal. Entretanto, devido a catástrofes naturais, guerras e a própria invasão do chamado vale do Indu, muito deste sistema se perdeu ou foi inadequadamente apropriado. Com o intuito de proteger aquilo que ainda restava, inúmeros documentos foram levados para as montanhas do Tibete. Eles foram estudados por muitos sábios, porém de forma incompleta, uma vez que a linguagem na qual eles estavam escritos não foi ensinada de maneira ideal, levando muito das práticas a serem superficialmente estudadas e os mantras pouco entendidos.


O Kundalini Yoga original sobreviveu a muitos desafios, na medida em que se tornou hermético, como uma tradição oral. Após cerca de 500 anos, com o nascimento de Guru Nanak Dev Ji, Guru Gobind Singh Ji, Baba Siri Chand, este sistema foi novamente reorganizado, compilado e trazido novamente para Punjab, Índia. Técnicas respiratórias, mantras, exercícios e meditações passaram a ser ensinadas pelos sikhs. A partir de 1969, o ocidente pode entrar em contato com esta forma de yoga, através dos ensinamentos do Yogi Bhajan.

O Kundalini Yoga é uma forma dinâmica de yoga que se concentra no trabalho do sistema glandular, imunológico e nervoso. Ele se alicerça no trabalho da energia vital, através de exercícios dinâmicos e técnicas especiais de respiração. Assim, condicionam a musculatura para utilizá-la como catalisadora de radicais livres e toxinas, promovendo a desintoxicação celular e melhorando a circulação sanguínea e linfática. Ao final de cada série de exercícios são utilizadas diferentes meditações para garantir o balanceamento energético complementar aos exercícios físicos e a manutenção de níveis de consciência especiais.

Kundalini Yoga estimula o crescimento individual através de técnicas que fortalecem o sistema nervoso, o sistema glandular e o sistema imunológico, visando o aumento da estabilidade e da vitalidade. É um potente e efetivo sistema de auto transformação e desenvolvimento pessoal.

Yogi Bhajan responde:

- O que é Kundalini?
- Como é quando a energia do kundalini se eleva?
- Kundalini é uma forma de eletricidade?

Resposta do Mestre: O que é kundalini? Kundalini é o conjunto de energia do cosmos no indivíduo e além do indivíduo. É a energia da consciência. Sem esse constante fluxo energético, você não viveria. Com o fluxo dessa energia na mente, você para de viver em realidades imaginárias e torna-se entregue aos seus objetivos de vida. Você experimenta isso quando a energia do seu sistema glandular se combina com o seu sistema nervoso para criar tal sensibilidade, que seu cérebro passa a receber sinais de várias ordens, das mais sutis às mais densas e a integrá-las. Uma nova clareza acompanha suas percepções, pensamentos e intuições. Normalmente, você usa uma pequena porção do potencial do seu cérebro.

Quando a kundalini se desperta, você passa a entender o efeito e o impacto de uma ação e suas consequências numa sequência de reações. Em outras palavras, você se torna consciente. Assim como todos os rios desaguam no oceano, todos os yôgas levam ao despertar do kundalini.

A kundalini é o potencial criativo do ser humano. Para obter a experiência da kundalini é necessário tecnologia e ciência. Eu observo que muitas pessoas ignoram cientificamente o processo pelo qual a kundalini é despertada.

Se há centenas de anos eu tivesse falado sobre energia atômica, as pessoas teriam dito “é assustador, é impossível. Isto não pode estar dentro de cada substância.” Eles não sabiam sobre o átomo, sobre sua estrutura interna e sobre seu potencial. Nós ainda temos a mesma ignorância sobre a estrutura e a natureza interna da consciência humana e seu potencial. As pessoas querem essa experiência mas têm medo, então inventam histórias porque lhes falta a prática, e baseiam suas crenças em rumores e desinformação. Este é um problema humano e não de um individuo: sem saber nada sobre algo, ou sem saber o significado de algo, construímos opiniões ou somos influenciados por opiniões. É por isso que eu encorajo você a fazer perguntas, aprender e experimentar.


KRIYA YOGA

INTRODUÇÃO:

A palavra kriya significa "atividade" ou "circulação" e refere-se à atividade ou ao movimento de consciência. Kriya também se refere a um tipo de prática preliminar ou práticas que conduzam ao total da União, o resultado final da prática. Kriya Yoga não trava as flutuações mentais, mas propositadamente cria atividade e o despertar da consciência. Desta forma, todas as faculdades são harmonizadas e afloram em seu pleno potencial. Kriya Yoga foi originada na Antiguidade e evoluiu ao longo do tempo através da prática e experiência. 

O Kriya Yoga é um sistema de Yoga que remonta a tempos imemoriais, e foi revivido nos tempos modernos por Lahiri Mahasaya. Paramahansa Yogananda popularizou o Kriya para o público em geral através do livro Autobiografia de um Iogue. O sistema consiste em técnicas yóguicas que aceleram o desenvolvimento espiritual e ajudam a alcançar um profundo estado de tranquilidade e comunicação com Deus e com o próprio Eu Superior.

A antiga história da Kriya Yoga é misteriosa e encantadora. Suas origens são uma mistura de mitologia, história e ciência que remontam ao amanhecer da consciência humana. Os santos e sábios da Índia vêm praticando e espalhando a ciência da yoga há muito tempo. A Kriya Yoga é uma ciência yogue muito antiga e efetiva, sendo também uma antiga tradição que tem sido praticada por visionários, santos e sábios desde tempos imemoriais.

Na mitologia indiana, mesmo Rama e Krishna praticaram e ensinaram a técnica de meditação Kriya Yoga. Práticas de Kriya foram explicadas pelos rishis nos Upanishads, pelo Sábio Vasishtha na Yoga Vasishtha e pelo Maharshi Patañjali no seu Yoga Sutra.

O Bhagavad Gita (4:1) diz que Deus primeiramente revelou a técnica da Kriya para Vivashvan, depois Vivashvan a passou para seu filho Manu, o sétimo dos quatorze Manus ou progenitores da raça humana. Manu então a transmitiu para seu filho Ikshvaku, fundador da primeira dinastia de reis na Índia antiga. A partir daí esta técnica foi transmitida de pai para filho  metaforicamente, quer dizer do mestre para discípulo, através da transmissão oral direta. Aparentemente perdidos, devido ao crescente declínio espiritual das últimas épocas, estes ensinamentos foram revividos pelo imortal Mahavatar Babaji Maharaj em 1861, que nomeou a técnica "Kriya Yoga".

A iniciação na Kriya Yoga autêntica e original deve ser recebida diretamente dos Swamis ou Yogacharyas, autorizados do mestre realizado, Paramahamsa Hariharananda. O Instituto Kriya Yoga não oferece cursos por correspondência ou aulas.

Preparando o Campo

As pessoas que desejam receber a iniciação são aconselhadas a “preparar seu campo” familiarizando-se com os ensinamentos de Paramahamsa Hariharananda. Uma boa maneira para começar é ler a revista Cultura da Alma, on-line, e/ou os livros escritos por Paramahamsa Hariharananda e por Swami Prajñanananda Giri.

Participando de um Programa de Kriya Yoga

Os Swamis e Yogacharyias veteranos de Paramahamsa Hariharananda viajam regularmente pelos Estados Unidos, Europa, Índia e América Latina para fazer palestras, dar iniciações, conduzir meditações guiadas e oferecer aconselhamento espiritual. 

Um programa de Kriya Yoga consiste numa palestra introdutória seguida pela iniciação na Kriya Yoga autêntica e original e, na continuação, numa série mínima de três meditações guiadas sob a supervisão de um Swami ou Yogacharya. Depois disto, as pessoas praticam regularmente por conta própria e também participam das meditações de grupo de sua região, dependendo de sua disponibilidade (em geral nos fins de semana).

A Instrução Sagrada - A Tradição da Purificação da Kriya Yoga e a Cerimônia de Bençãos:

A antiga tradição para aprender a ciência real da meditação Kriya Yoga começa com a purificação. Esta implica na participação numa cerimônia sagrada na qual a espinha e o corpo são purificados.

Cada buscador é iniciado individualmente através do toque direto de um professor desta linhagem. O professor infunde diretamente as três qualidades divinas do som, da vibração e da luz no iniciado.

Através deste processo, o buscador aprenderá a perceber a luz interior da alma, a escutar o som divino e a sentir a divina sensação de movimento em todo o seu corpo. Mantras sagrados são cantados durante toda a cerimônia, com explicações apropriadas.

No início da cerimônia ensinam-se técnicas básicas de calma, preparando assim o buscador para a infusão de energia divina. A iniciação na Corrente Sagrada da Consciência Divina é atingida sobrepondo-se à conversa interna da mente. Isso possibilita acalmar os processos mentais e fundir-se com o Divino na forma do Som, da Vibração e da Luz.

A cerimônia de instrução consiste nas seguintes fases:

Purificação do corpo, da espinha e dos sentidos
Infusão das triplas qualidades divinas
Flor das bençãos
Oblação da respiração ao fogo
Afirmação
Oferendas a Deus e aos Mestres
Aspersão da sagrada água da paz

A participação na cerimônia de instrução inclui:
  • Todas purificações cerimoniais
  • Os ensinamentos nas técnicas da 1ª kriya
A primeira fase da cerimônia purifica o corpo do buscador. Mais purificação é obtida pelas oblações da respiração na cerimônia do fogo. Esta cerimônia do fogo é aparentemente simbólica, porém faz com que uma limpeza ocorra em níveis mais sutís e profundos. A profundidade da purificação depende do desejo e da receptividade do buscador. Ao terminar a cerimônia dá-se a instrução nas técnicas do 1º nível de Kriya, para que os aspirantes possam continuar o processo de purificação e meditar por conta própria. Diversas técnicas diferentes de Kriya Yoga são reveladas pelo instrutor. Toda a cerimônia, incluindo a infusão das triplas qualidades divinas, é conduzida por um professor autorizado ou por um monge desta linhagem.

Oferendas: O buscador oferece três presentes simbólicos ao instrutor como oferendas a Deus e aos Mestres. As três oferendas são: cinco frutas representando os frutos ganhos pelas atividades durante a vida; cinco flores que representam os cinco sentidos e uma doação financeira que representa, respectivamente, o corpo causal, astral e físico.

Logística: Pede-se que o buscador preencha um formulário antes de receber a instrução. Será também pedido ao buscador que não divulgue as técnica para outros para manter e proteger a pureza dos ensinamentos.

Acompanhamento: Pede-se que o novo iniciado participe ao menos de três sessões de meditação de acompanhamento com o instrutor. Meditações guiadas semanais acontecem nos diversos centros do país.

Paramahansa Yogananda fala:

Kriya Yoga é um método simples, psicofisiológico, pelo qual o sangue humano se descarboniza e volta a oxigenar-se. Os átomos deste extra-oxigênio transmutam-se em corrente vital para rejuvenescer o cérebro e os centros da espinha. Sustando a acumulação de sangue venoso, o iogue pode diminuir ou evitar a degeneração dos tecidos. O iogue adiantado transmuta suas células em energia. Elias, Jesus, Kabir e outros profetas foram, no passado, mestres no uso de Kriya ou de uma técnica similar, pela qual eles materializavam ou desmaterializavam seus corpos à vontade.

Kriya é uma ciência antiquíssima. Láhiri Mahásaya recebeu-a de seu grande guru, Bábají, que redescobriu e purificou esta técnica depois da Idade Média, época em que esteve perdida. Bábají batizou-a, de novo, simplesmente de Kriya Yoga.

Kriya Yoga é um instrumento que pode acelerar a evolução humana - explica Sri Yuktéswar a seus estudantes. - Os antigos iogues descobriram que o segredo da consciência cósmica se liga intimamente ao domínio da respiração. Esta é a contribuição sem par e imortal da Índia ao tesouro de conhecimento do mundo. A força vital que comumente se emprega para manter a pulsação cardíaca deve tornar-se livre para atividades superiores por meio de um método que acalme e deteriore as demandas incessantes da respiração.

O Kriya Yogi dirige mentalmente sua energia vital para cima e para baixo, a fim de fazê-la girar em torno dos seis centros espinhais (plexos medular, cervical, dorsal, lombar, sacro e coccígeo), correspondentes aos doze signos astrais do Zodíaco, o Homem Cósmico simbólico. Meio minuto de revolução da energia ao redor do sensitivo cordão da espinha efetua progressos sutis na evolução do homem; esse meio minuto de Kriya equivale a um ano de desenvolvimento comum.

Kriya Yoga nada tem de comum com exercícios respiratórios anti-científicos ensinados por certos fanáticos extraviados. Tentativas de reter a respiração nos pulmões, até o exagero, são artificiais e decididamente desagradáveis, A prática de Kriya, ao contrário, é acompanhada, desde o início, por sentimentos de paz e sensações suavizantes, de efeito regenerador na espinha.

Esta antiga técnica iogue converte a respiração em substância mental. O adiantamento espiritual permite ao devoto conhecer a respiração como um conceito, um ato da mente: ela é, pois, uma respiração de sonho.

Com alimentação apropriada, luz solar e pensamentos harmoniosos, homens que se deixam guiar apenas pela Natureza e seu divino plano alcançarão a experiência de Deus em um milhão de anos. Necessitam-se doze anos de vida normal saudável para que se efetue o mais leve refinamento na estrutura do cérebro; um milhão de anos solares são precisos até purificar o alojamento cerebral o suficiente para que manifeste a consciência cósmica. Um Kriya Yogi, entretanto, pelo exercício desta ciência espiritual, livra-se da necessidade de um longo período de cuidadosa observância das leis naturais.

Kriya Yoga é o verdadeiro “rito do fogo”, muitas vezes enaltecido no Gíta. O iogue arroja seus anseios humanos numa fogueira monoteísta consagrada ao Deus incomparável. Nesta autêntica cerimônia do fogo, todos os desejos passados e presentes são o combustível consumido pelo amor divino. A Flama Última recebe em holocausto a derradeira loucura humana e o homem se vê livre de escórias. Seus ossos metafóricos despojados de toda carne sensual, seu esqueleto cármico branqueado pelos sóis anti-sépticos da sabedoria, sem ofensas ao homem e ao Criador, ele se encontra - finalmente - limpo.

Paramahansa Yogananda
Autobiografia de Um Iogue, capítulo 26

Fontes:

Wikipédia
Bhagavad Gita IV:29
Paramahansa Yogananda, Autobiografia de um Iogue, capítulo 26, referindo-se ao Bhagavad Gita IV:1-2
Aforismos de Patanjali, II:1. Tradução por Paramahansa Yogananda, Autobiografia de um Yogi, capítulo 26
Aforismos de Patanjali, II:49. Tradução de Paramahansa Yogananda, Autobiografia de um Iogue, capítulo 26

PURNA YOGA:

O Yoga Integral ou Purna Yoga (Satya Yoga) de Sri Aurobindo é um método de Yoga que é constituído por um conjunto de técnicas transmitidas por gerações milenares de mestre a discípulo. Um método de Yoga utiliza ou elege diferentes técnicas que são um meio de alcançar o Samadhi, fim último do Yoga.

PURNA quer dizer COMPLETA, outro nome dado à YOGA INTEGRAL, por integrar as várias modalidades principais de YOGA em uma só atividade. SATYA significa VERDADEIRA e é o nome de nosso Fundador, que nos deu a origem do método que foi desenvolvido e adaptado à nossa cultura nos últimos 30 anos de experiência no Brasil e no exterior; reúne as ramificações principais e mais frutíferas da milenar ciência YOGUI. SATYA YOGA é a verdadeira YOGA, água pura da fonte, sem a artificialização de uma indústria mercadológica. SATYA YOGA tem como objetivo o bem estar, saúde e evolução do praticante e não o bem estar de uma empresa ou instituição, tendo assim uma estrutura totalmente voltada para a saúde do corpo, o aprimoramento das faculdades mentais, o conforto do bem estar emocional, a eliminação do estresse, o auto conhecimento, a sabedoria e a paz interior como forma de conforto espiritual. A estrutura e finalidade da dinâmica de nossos métodos não tem como prioridade a ambiciosa liderança mercadológica, ideológica ou institucional.

Reúne uma síntese de todos os tipos de yoga adaptados para nossa cultura. Damos preferência a este método por ser o que tem demonstrado resultados surpreendentemente melhores do que os demais!


VIDYA YOGA:

Vidya Yoga é a atual designação para um antigo ramo do Yoga denominado Raja Vidya Yoga.

O Raja Vidya Yoga, assim como o Vajramushti, foi trazido ao Brasil pelo Grão-Mestre Shri Swami Vyaghrananda, em 1960, após passar por vários países. Em 1980 foi fundado o Vidya Yoga Ashram, em Curitiba - PR, pelo seu discípulo Shri Swami Vyaghra Yogi, atual Grão-Mestre do Vidya e Presidente da Ordem Filosófica. O Vidya Yoga segue a tradição paramparay - transmissão de conhecimento de Mestre a discípulo - o que permitiu que o vasto conhecimento da Cultura Hindu Rishi fosse perpetuado ao longo de mais de dez mil anos, desde que surgiu na Índia, nos sopés dos Himalaias, mais precisamente no Vale do Badarayana, no ano 8710 a.C.

"Vidya" é o termo sânscrito que origina-se da raíz "Vid", que significa conhecimento, verdade, ciência. Desta mesma raiz deriva a palavra Veda.

O Vidya Yoga é uma linha pré-clássica, com orientação Samkhya e Tantra.

LAYA YOGA:

Trata-se de uma modalidade de controle da natureza mental, partindo do pressuposto que se pode dominar as funções físicas e psíquicas e, assim, eliminar traumas, angústias, depressões, fobias etc, os chamados "agregados psicológicos". Essa técnica consiste em relaxamento, musicoterapia, auto-sugestões, mantrans (palavras de poder) práticas de respiração para redução dos batimentos cardíacos, dominando-se o corpo físico, permitindo ao Espírito Divino, que está eternamente unido ao ser, manifestar-se e eliminar as desarmonias físico-psíquicas.

GNANA YOGA:

É o sistema que busca a comunhão com Deus pela via da Verdade e da Sabedoria. Seus métodos, através de austeridades, ética de conduta, estudos e da meditação, têm como meta a sagrada compreensão da Divindade, da Sua manifestação cósmica e do destino do ser humano. Este é o caminho do Budismo clássico.



FASE DO AMADURECIMENTO DOS CORPOS:


Para cada um dos nossos corpos há um período de amadurecimento e transformação. Sabemos que a cada 7 anos, por exemplo, todas as células do nosso corpo físico renovam-se automaticamente. Se isto acontece com um de nossos corpos, por que não haveria de acontecer com os demais? Segundo a Filosofia Sagrada do Vidya Yoga, o homem possui sete corpos:

  • Físico
  • Energético (ou astral)
  • Emocional
  • Mental Inferior
  • Mental Superior
  • Intuitivo
  • Espiritual
As diversas religiões e filosofias em todo o mundo também fazem a divisão dos corpos do ser humano, sendo que cada uma dá o seu ponto de vista. Por exemplo, a Igreja Católica Apostólica Romana divide o ser humano em "corpo e alma", subentendendo que o corpo é o composto de todos os veículos (Shariras) e alma é o veículo espiritual.

O Espiritismo, por sua vez, pela codificação de Allan Kardec, afirma que o ser humano é composto de "corpo, perispírito e espírito". Neste caso, o corpo diz respeito ao veículo puramente físico; o perispírito diz respeito aos veículos energético, emocional, mental e intuicional, e o espírito é o próprio veículo espiritual do ser humano.


O Vedanta afirma que o ser humano é composto de "5 corpos", sendo que os quatro primeiros são veículos densos e materiais, os quais são alimentados por alimento, Prana, emoção e razão, e o último, Anandamaya Kosha é o veículo da "bem-aventurança". Já o Samkhya (linha espiritualista natural dos seguidores de Shiva), afirma que o ser humano é composto dos sete corpos já mencionados acima.


Sabemos que os Shariras estão diretamente ligados com os Chakras, e que estes estão relacionados com a Evolução Septenária.

Fonte: Compilação e Resumo da Revista Sexto Sentido - Autor do texto Gilberto Schoereder

Compilado e coletado por Beraldo Lopes Figueiredo




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...