quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Lendas Celtas Irlandesas V




Lug se prepara para a batalha contra os fomorianos


O Dagda possuía uma casa em Glen Edin, no norte, e ele a arrumou para encontrar uma mulher em Glen Edin em um ano, próximo da batalha de Todos os Santos. O Unshin de Connacht rugia na direção sul.

Ele viu a mulher no Unshin em Corann se banhando, com um de seus pés em Allod Echae (isto é, Aghanagh) sul da água, e o outro em Lisconny, norte da água. Haviam nove cachos desprendidos em sua cabeça. O Dagda falou com ela, e eles se uniram. "A Cama do Casal" foi o nome desse lugar daí por diante (a mulher mencionada aqui era Morrigan).

Então ela disse ao Dagda que os Fomorianos desembarcariam em Mag Ceidne, e que ele deveria reunir os aes dana da Irlanda para encontrá-la no Vau de Unshin, e ela iria para dentro de Scetne para destruir Indech mac De Domnann, o rei dos Fomorianos, e lhe tiraria o sangue do coração e a disposição de sua coragem. Mais tarde, ela deu dois punhados desse sangue para as hostes que estavam esperando no Vau de Unshin. Seu nome se tornou "O Vau da Destruição", por causa da destruição do rei.

Assim os aes dana fizeram, e eles cantaram feitiços contra as hostes dos Fomorianos.

Isso foi uma semana antes de Todos os Santos, e todos eles se dispersaram até que todos os homens da Irlanda tivessem se reunido no dia anterior ao de Todos os Santos. Seu número era de seis vezes trinta centenas, isto é, cada terço consistia de duas vezes trinta centenas.

Então Lug mandou o Dagda para espiar os Fomorianos e para atrasá-los até que os homens da Irlanda chegassem para a batalha.

Então o Dagda foi para o acampamento dos Fomorianos e propôs-lhes uma trégua na batalha. Isso lhe foi concedido conforme eles propôs. Os Fomorianos lhe fizeram mingau para zombar dele, pois seu gosto por mingau era notável. Eles encheram para ele o caldeirão do rei, que tinha cinco palmos de profundidade, e derramaram quatro galões de leite novo e a mesma quantidade de farinha e gordura nele. E colocaram bodes e ovelha e porco nele, e os ferveram todos junto com o mingau. Então eles derramaram isso em um buraco no chão, e Indech disse-lhe que ele seria morto, a menos que comesse tudo aquilo; ele deveria fartar-se de comer de forma que sua força não fosse satirizada pelos Fomorianos.

Então o Dagda pegou sua concha, e ela era grande o bastante para que um homem e uma mulher repousassem em seu meio. Esses eram os pedaços que estavam nela: metade de um porco salgado e um quarto da banha de porco.

Então o Dagda disse "Esta comida é boa se seu caldo é igual a seu gosto." Mas enquanto colocava a colher cheia na boca, ele disse "Seus pobres pedaços não a estragam,' dizem os velhos homens sábios."

Então, ao fim, ele limpou todo o buraco, tocando, até o fundo, entre bolor e cascalho. Ele adormeceu logo depois de comer seu mingau. Sua barriga estava tão grande quanto um caldeirão, e os Fomorianos riram-se dela.

Então ele foi embora para Traigh Eabha. E não foi fácil para o guerreiro se mover adiante levando em conta o tamanho de sua barriga. Sua aparência estava horrível: ele tinha um promontório no vazio entre seus cotovelos, e uma túnica cinza amarronzada ao redor dele até o inchaço de seu traseiro. E ele arrastava atrás de si uma forquilha que necessitava do trabalho de oito homens para se mover, e essa trilha era o bastante para ser uma trincheira da fronteira de uma província. E foi chamada "A trilha da clava de Dagda" por essa razão. Seu longo pênis estava descoberto. Ele vestia dois sapatos de pele de cavalo com o pêlo para fora.

À medida que continuava, ele viu uma garota à sua frente, uma bonita jovem com uma excelente forma, seu cabelo em belos cachos. O Dagda a desejou, mas ele estava impotente por causa de sua barriga. A garota começou a zombar dele, então ela começou a lutar com ele. Ela arremessou-o de forma que ele afundou o côncavo de seu traseiro no chão. Ele olhou para ela irritado e perguntou "O que você quer, garota, tirando-me fora de meu caminho?”

"Isto: conseguir que você me carregue nas costas à casa de meu pai."

"Quem é seu pai?", ele perguntou.

"Eu sou filha de Indech, filho de De Domnann", ela disse.

Ela atacou de novo e bateu nele severamente, de forma que a fenda em volta dele ficou cheia com o excremento de sua barriga; e ela zombou dele três vezes, até que ele a carregasse em suas costas.

Ele disse que isso era um ges para ele, que carregaria qualquer um que o chamasse por seu nome.

"Qual é seu nome?", ela perguntou.

"Fer Benn", ele disse.

"Até o nome é demasiado!", ela disse. "Levante, carregue-me em suas costas, Fer Benn."

"Este não é realmente meu nome", ele disse.

"Qual é?", ela perguntou.

"Fer Benn Mach", ele respondeu.

"Levante, carregue-me em suas costas, Fer Benn Mach", ela disse.

"Este não é realmente meu nome", ele disse.

"Qual é?", ela perguntou. Então ele disse-lhe seu nome completo. Ela respondeu imediatamente e disse "Levante, carregue-me em suas costas, Fer Benn Bruach Brogaill Broumide Cerbad Caic Rolaig Builc Labair Cerrce Di Brig Oldathair Boith Athgen mBethai Brightere Tri Carboid Roth Rimaire Riog Scotbe Obthe Olaithbe. . . . Levante, carregue-me para fora daqui!"

"Não ridicularize-me mais, garota", ele disse.

"Isso certamente será difícil", ela disse.

Então ele moveu-se para fora do buraco, depois que deixara lá o conteúdo de sua barriga, e por causa disso a garota havia esperado por um longo tempo. Ele levantou então, e colocou a garota em suas costas; e ele colocou três pedras em seu cinto. Cada pedra pendeu e caiu - e foi dito que eram seus testículos que caíram. A garota saltou e o golpeou nas nádegas, e seus pêlos pubianos estavam à mostra. Então o Dagda conquistou uma amante, e eles fizeram amor. Uma marca ficou em Beltraw Strand onde eles se uniram.

Então a garota disse a ele "Você não vai para a batalha por meio algum."

"Certamente eu irei", disse o Dagda.

"Você não irá", disse a mulher, "porque eu serei uma pedra na boca de cada vau que você cruzar."

"Assim será deveras", disse o Dagda, "mas você não me impedirá desa forma. Eu pisarei pesadamente em cada pedra, e as pegadas de meu calcanhar ficarão em cada pedra para sempre."

"Assim será deveras, mas elas trocarão de lugar de forma que você não as verá. Você não me deixará para trás até que eu reúna os filhos de Tethra dos montes de sid, porque eu serei um carvalho gigante em cada vau e em cada passagem que você cruzar."

"Eu deveras passarei", disse o Dagda, "e a marca de meu machado permanecerá em cada carvalho para sempre." (E as pessoas serão observadas sob a marca do machado de Dagda.)

Então, no entanto, ela disse "Permita que os Fomorianos entrem no reino, porque os homens da Irlanda terão todos se reunido em um lugar." Ela disse que atrasaria os Fomorianos, e ela cantaria feitiços contra eles, e ela praticaria a arte mortal da varinha mágica contra eles – e ela sozinha enfrentaria um nono de suas hostes.

Os Fomorianos avançaram até que sua décima parte estivesse em Scetne. Os homens da Irlanda estavam em Mag Aurfolaig. Neste ponto, estas duas hostes estavam ameaçando batalhar.

"Os homens da Irlanda tomaram para si nos dar batalha?" disse Bres mac Elathan a Indech mac De Domnann.

"Eu também a darei" disse Indech, "de forma que seus ossos ficarão em pedaços se não pagarem seu tributo."

Para proteger-lhe, os homens da Irlanda haviam combinado poupar Lug da batalha. Seus nove pais adotivos foram proteger-lhe: Tollusdam e Echdam e Eru, Rechtaid Finn e Fosad e Feidlimid, Ibar e Scibar e Minn. Eles temiam que o guerreiro morresse cedo por causa do grande número de artes que dominava. Por essa razão, eles não lhe permitiram ir à batalha.

Então, os homens de posto entre os Tuatha De estavam reunidos em torno de Lug. Ele perguntou a seu ferreiro, Goibniu, que poder ele detinha em favor deles.

"Não é difícil dizer", ele disse. "Mesmo se os homens da Irlanda continuarem a batalha por sete anos, para cada lança separada de seu cabo ou espada que quebrar em batalha, eu providenciarei uma nova arma em seu lugar. A ponta de lança forjada por minhas mãos não fará um arremesso perdido. Nenhuma pele por ela tocada sentirá a vida outra vez. Dolb, o ferreiro Fomoriano, não pode fazer isso. Eu agora estou preocupado com minha preparação para a batalha de Mag Tuired."

"E você, Dian Cecht," disse Lug, "que poder você detém?"

"Não é difícil dizer," ele disse. "Qualquer homem ferido ali, a menos que sua cabeça seja cortada, ou a membrana de seu cérebo ou sua coluna vertebral forem separadas, eu o colocarei sem falhas na batalha no dia seguinte."

"E você, Credne," Lug disse a seu braseiro, "qual é o seu poder na batalha?"

"Não é difícil responder," disse Credne. "Eu os suprirei todos com pontas para suas lanças e punhos para suas espadas e enfeites e bordas para seus escudos."


"E você, Luchta," Lug disse para o seu carpinteiro, "qual poder você detém na batalha?"

"Não é difícil responder," disse Luchta. "Eu os suprirei todos com quanto escudos e cabos de lanças precisarem."

"E você, Ogma," disse Lug para seu campeão, "Qual é o seu poder na batalha?"

"Não é difícil dizer," ele disse. "Serei um adversário páreo para o rei e segurarei eu próprio de seus amigos, até que vencerei um terço da batalha para os homens da Irlanda."

"E você, Morrigan," disse Lug, "Que poder?"

"Não é difícil dizer," ela disse. "Eu ficarei firme; eu perseguirei quem estiver vigiando; eu serei capaz de matar; eu serei capaz de destruir aqueles que forem subjugados."

"E vocês, feiticeiros," disse Lug, "Que poder?"

"Não é difícil dizer," disseram os feiticeiros. "Suas brancas solas dos pés serão visíveis depois que nós os tivermos derrubados com nossas artes, de forma que eles serão facilmente mortos; e nós tiraremos dois terços das forças deles, e os impediremos de urinar."

"E vocês, copeiros," disse Lug, "Que poder?"

"Não é difícil dizer” disseram os copeiros. "Nós colocaremos uma grande sede sobre eles, e eles não encontrarão bebidas para matá-la."

"E vocês, druidas," disse Lug, "Que poder?"

"Não é difícil dizer," disseram os druidas. "Nós mandaremos chuvas de fogo sob as faces dos Fomorianos de forma que eles não poderão esguer os olhos, e os guerreiros em luta com eles poderão usar sua força para matá-los."

"E você, Coirpre mac Etaine," disse Lug ao seu bardo, "o que pode fazer na batalha?"

"Não é difícil dizer," disse Coirpre. "Eu farei um glam dicenn contra eles, e eu os satirizarei e os envergonharei de forma que através do encanto de minha arte eles não oferecerão resistência pra os guerreiros."

"E vocês, Be Chuille e Dianann," disse Lug às suas duas feiticeiras, "o que podem fazer na batalha?"

"Não é difícil dizer," elas disseram. "Nós encantaremos as árvores e as pedras e a grama da terra de forma que elas sejam uma hoste armada contra eles; e eles se dispersarão em fuga, apavorados e tremendo."

"E você, Dagda," disse Lug, "que poder você pode exercer contra as hostes Fomorianas na batalha?"

"Não é difícil dizer," disse o Dagda. "Eu lutarei pelos homens da Irlanda mutuamente golpeando e destruindo e com feitiços. Os ossos deles sob minha clava em breve serão como muitas pedras de granizo sob os pés de um rebanho de cavalos, aqui o dobro de inimigos encontraram no campo de batalha de Mag Tuired."

Então, dessa forma, Lug se dirigia a cada um deles, um após o outro, perguntando por suas artes, fortalhecendo-lhes e dirigindo-se a eles do mesmo modo até que cada homem possuísse a coragem de um rei ou um grande senhor.

Ora, diariamente a batalha estava empatada entre os Fomorianos e os Tuatha De Danann, mas não havia reis ou príncipes lutando, apenas homens bárbaros e arrogantes.

Uma coisa se tornou evidente para os Fomorianos na batalha parecendo fora do comum para eles. Suas armas, suas lanças e suas espadas, estavam embotadas; e aqueles dentre seus homens que morriam não voltavam no dia seguinte. Esse não era o caso com os Tuatha De Danann: embora suas armas estivessem embotadas um dia, elas estavam restauradas no próximo porque Goibniu, o ferreiro, estava em sua forja fabricando espadas e lanças e dardos. Ele fazia aquelas armas com três pancadas. Então Luchta, o carpinteiro, fazia os cabos das lanças em três lascadas, e a terceira lascada era o acabamento e a colocava fixa no encaixe da lança. As pontas de lanças estavam no lado da forja onde ele jogaria os encaixes com as setas, e não era necessário encaixá-los outra vez. Então Credne, o brazeiro, fazia os cravos com três pancadas e jogava os encaixes de lanças neles, e não era necessário perfurar orifícios para eles; e desta forma ficaram juntos.

Ora, essa era a forma que usavam para despertar os guerreiros que se feriram ali de forma que eles estivesem mais exaltados no dia seguinte: Dian Cecht, seus dois filhos Octriuil and Miach, e sua filha Airmed cantavam feitiços acima do poço chamado Slaine. Eles colocavam seus homens mortalmente feridos ali enquanto eles estavam abatidos; e eles estavam vivos quando vinha à tona. Seus homens mortalmente feridos ficavam curados pelo poder do encantamento feito pelos quarto médicos que estavam em volta do poço.

Ora, isto causava perdas para os Fomorianos, e eles escolheram um homem para inspecionar a batalha e as práticas dos Tuatha De - Ruadan, o filho de Bres e de Brig, a filha do Dagda – porque ele era filho e neto dos Tuatha De. Então ele descrevia aos Fomorianos o trabalho do ferreiro e do carpinteiro e do brazeiro e dos quatro médicos que estavam por perto. Eles mandaram-lhe de volta para matar um dos aes dana, Goibniu. Ele pediu uma ponta de lança para ele, cravos para o brazeiro, e um cabo de lança para o carpinteiro; e tudo lhe foi dado como ele havia pedido. Ora, havia ali uma mulher que afiava armas, Cron, a mãe de Fianlach; e ela afiou a lança de Ruadan. Assim a lança foi dada a Ruadan por seus parentes por parte de mãe, e por essa razão ela foi chamada "a lança dos parentes por parte de mãe" na Irlanda.

Mas depois que a lança lhe foi dada, Ruadan voltou e feriu Goibniu. Ele tirou fora a lança e atirou-a em Ruadan de forma que ela atravessou-lhe; e ele morreu na presença de seu pai na assembléia Fomoriana. Brig chegou e chorou por seu filho. A principio ela gritou, e no fim das contas ela lamentou. Então pela primeira vez lamentos e gritos foram ouvidos na Irlanda. (Ora, ela é a Brig que inventou um assobio para sinalizar a noite.)


Então Goibniu foi para o poço e voltou curado. Os Fomorianos possuiam um guerreiro chamado Ochtriallach, o filho do rei dos Fomorianos, Indech mac De Domnann. Ele sugeriu que cada homem sozinho que eles possuíssem deveria trazer uma pedra das pedras do rio Drowes para jogar no poço Slaine em Achad Abla a oeste de Mag Tuired, a leste de Lough Arrow. Eles foram, e cada homem colocou uma pedra no poço. Por essa razão o monte de pedras é chamado Ochtriallach. Mas outro nome para este poço é Loch Luibe, porque Dian Cecht colocou nele cada erva que crescesse na Irlanda.

Notas: As palavras aes dana e ges se encontram nessa forma no original e em itálico, não tendo tradução.

Traduzido para o português por Lucas Rafael Ferraz, a partir da tradução para o inglês de Elizabeth A. Gray












LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...