quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Lendas Gregas - Deucalião e Pirra



O primeiro Deucalião foi um filho de Prometeu e Climene. Era casado com Pirra. Quando a fúria de Zeus foi lançada contra o holismo dos pelásgios, Zeus decidiu pôr um fim à idade do bronze com o dilúvio, mas antes, avisou o casal para que eles construíssem um barco para se salvarem do dilúvio.

História

Zeus observava espantado a humanidade, havia muitas guerras, o ódio estava instaurado. Então resolveu exterminar a espécie humana, certo de que fora o maior erro que os deuses cometeram. Os humanos não teriam direito à vida. Foi convocado o conselho dos deuses. Todos obedeceram à convocação e tomaram o caminho do palácio do céu. Esse caminho pode ser visto todas as noites claras, atravessando o céu: é chamado de Via Láctea. Ao longo dele ficam os palácios dos deuses ilustres. 

Dirigindo-se à assembléia, Zeus expôs as terríveis condições que reinavam na terra e anunciou que iria destruir todos os homens e criar uma nova raça que fosse mais digna de viver e que soubesse melhor cultuar os deuses. Tomou seu raio, e já ia atirar contra o mundo, destruindo-o pelo fogo, quando percebeu o perigo que um incêndio teria para os próprios deuses. Resolveu, então, inundar a terra.

O vento norte, que espalha as nuvens, foi encadeado; o vento sul foi solto e em breve cobriu todo o céu com escuridão profunda. As nuvens, empurradas em bloco, romperam-se; correntes de chuva caíram; as plantações inundaram-se. Não satisfeito, pediu ajuda a seu irmão Poseidon. Este soltou os rios e lançou-os sobre a terra. Sacudia-a com um terremoto e lançou o refluxo do oceano sobre as praias. Rebanhos, animais, homens, casas e templos engolidos. Tudo se transformou em mar. Os peixes nadavam sobre os galhos das árvores; a âncora se prendia num jardim. De todas as montanhas, apenas o Parnaso ultrapassa as águas. Ali, Deucalião e Pirra encontraram refúgio - ele é um homem justo, e ela, uma devota fiel dos deuses. Zeus viu que apenas eles haviam sobrevivido e cessou a tempestade. Poseidon retirou as águas. Deucalião dirigiu-se a Pirra e disse:

"Ó esposa, única mulher sobrevivente, unida a mim primeiramente pelos laços do parentesco e do casamento, e agora por um perigo comum; pudéssemos nós possuir o poder de nosso antepassado Prometeu e renovar a raça, como ele fez, pela primeira vez! Como não podemos, porém, dirijamo-nos àquele templo e indaguemos dos deuses o que nos resta fazer."


Entraram em um templo coberto de lama e aproximaram-se do altar. Prostraram-se na terra e rogaram à deusa que os esclarecesse sobre a maneira de se comportar naquela situação.

"Sai do templo com a cabeça coberta e as vestes desatadas e atirai para trás os ossos de vossa mãe" - respondeu o oráculo.

Pirra ficou confusa com o que o oráculo disse. Ela não poderia fazer o que ele estava pedindo. Deucalião pensou seriamente e chegou à conclusão de que se a terra era a mãe comum de todos, as pedras seriam seus ossos. Resolveram tentar. Os dois velaram o rosto, afrouxaram as vestes, apanharam as pedras e atiraram-nas para trás. As pedras amoleceram e começaram a tomar forma humana. As pedras atiradas pelas mãos do homem tornaram-se homens; pelas mãos da mulher, tornaram-se mulheres. Era uma raça forte e bem disposta para o trabalho.

Deucalião (filho de Minos)

O segundo Deucalião viveu muitas gerações depois, e governou Creta. Foi um filho de Minos e Pasífae, e aparentemente sucedeu seu irmão mais velho Catreu como rei de Creta. Este Deucalião foi o pai de Idomeneu, seu sucessor, que deixou um força cretense para a guerra de Tróia, bem como um filho bastardo chamado Môlo, pai de Meriones.

Fonte: http://www.espiritualismo.info/










LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...