domingo, 7 de agosto de 2011

Projeciologia - Viagem Astral IV


VISÃO ESPÍRITA SOBRE PROJEÇÃO ASTRAL:


PROJEÇÃO ASTRAL, para o espiritismo, tem a nomenclatura denominada DESDOBRAMENTO.

Os sonhos ainda são um mistério para a Ciência. O que acontece enquanto dormimos,  sonhamos e muito embora as lembranças sejam fragmentadas, e sem precisão isso ainda intriga as pessoas em todos os ramos científicos. Para a psicanálise, a partir de Freud e Carl Gustav Jung, os sonhos são repetições de fatos ocorridos durante o dia, durante a vida e símbolos daquilo que desejamos, ansiamos muito.

Para Jung existe um inconsciente coletivo, no qual são originados imagens e símbolos que integram a mitologia de todos os povos, mesmo que estes nunca tenha se comunicado. Casos como Thor, Deus Nórdico do Trovão, é o mesmo Xangô do Candomblé Africano e o Zeus dos Gregos. Deucalião grego é o Nóe bíblico.

Para os espíritas, as explicações mais plausíveis continuam sendo as encontradas nas Obras de Allan Kardec.

Ele divide o sonho em três níveis:

1º) O sonho ordinário, puramente cerebral (mental), que são disposições e repercussões de ordem física, preocupações emocionais, morais.

2º) O sonho de desprendimento do espírito, que flutua na atmosfera e mergulha no oceano de imagens (formas pensamentos), sem no entanto se desprender do corpo físico.

3º) Os sonhos profundos ou etéreos, quando o espírito se desprende da matéria e percorre a superfície da terra e (*) o mundo espiritual.

Para que se entenda melhor o que ocorre no 3º Nível, o espiritismo afirma que o espírito está ligado ao corpo físico para reparar erros cometidos no passado neste mesmo plano físico, ou seja, o espiritismo acredita na palingenesia (reencarnação).

Para o espiritismo, um espírito está limitado ao corpo físico e, quando livre, pode exercer livremente seus dons, que em muitos casos não consegue exercer enquanto preso ao corpo denso. Assim, durante o sono, o espírito livre pode percorrer o espaço e entrar em contato com outros espíritos, numa relação direta.

Um espírito, durante o sonho no terceiro nível, pode vivenciar muitas experiências, mesmo não lembrando de nada após voltar ao corpo. Para o espiritismo, o fato de não lembrarmos é devido ao fato de não existir um completo desdobramento.

Para o espiritismo, o espírito se desprende do corpo físico. Alguns não se afastam do corpo, outros vão a outros lugares e se movimentam livremente no mundo espiritual e o espírito é atraído para locais e companhias com ele identificados.

O avarento tratará de negócios visando ganhar mais dinheiro, usando sua malícia e egoísmo. A esposa queixosa encontrará conselhos para seu marido. Inimigos entram em luta, outros fazem cursos, reuniões; o lascivo terá encontros eróticos, contatos sexuais, orgias; outros terão encontros com amigos de outras vidas, com entes queridos, aconselhamentos de amparadores, mentores, etc.

Segundo Aluney Elferr de Albuquerque Silva, o grau de despertamento de um espírito dentro de seus sonhos, prever o futuro, lembrar-se do passado, é relativo ao grau de evolução do espírito em questão.

O espiritismo Kardequiano admite a convivência entre os espíritos em sonho, mesmo que estes estejam encarnados e morem em lugares distantes. Essa sintonia passa a existir a partir do momento em que os espíritos sentem-se livres da prisão carnal e as limitações das células cerebrais.

(*) Plano Astral e Plano Mental


HIPÓTESES PARA EXPLICAR A PROJEÇÕES ASTRAIS


Dentro das suposições que explicam as Projeções Astrais, Waldo Vieira fez um apanhado de todos raciocínios hipotéticos encontrados até hoje.

Deve-se evidenciar que todo aquele que estuda e procura a verdade, atente que todas as HIPÓTESES são opiniões.

Cabe a cada um EXPERIMENTAR, POR CONTA PRÓPRIA, e chegar à sua própria hipótese.

HIPÓTESES FARMACOLÓGICAS:

01 – Falta de Oxigênio ou redução de glicose na torrente circulatória.
02 – Sensações produzidas por Drogas.
03 – Efeitos de substâncias químicas produzidas pelo próprio cérebro
          (endorfina, por exemplo).

HIPÓTESE NEUROFISIOLÓGICAS:

04 – Aberrações Neuróticas.
05 – Condições Neurológicas específicas (estímulos em zonas cerebrais).
06 – Epilepsia.
07 – Hipóxia Cerebral.
08 – Mal funcionamento do Cérebro.

HIPÓTESES PSICOLÓGICAS:

09 – Alucinações comuns espontâneas.
10 – Alucinação Autoscópica.
11 – Alucinação Induzida.
12 – Anomalia psíquica congênita.
13 – Auto-sugestão imperceptível.
14 – Criações Mentais.
15 – Despersonalização (defesa do Ego).
16 – Devaneio Convincente.
17 – Estado Mórbido.
18 – Fabulações.
19 – Fantasias Auto-Hipnóticas.
20 – Fecundidade do Inconsciente.
21 – Ilusão.
22 – Início da instalação de Esquizofrenia.
23 – Projeção do inconsciente onipotente, onisciente.
24 – Pseudoprojeção.
25 – Psicose.
26 – Ressurgimento da ideia esquecida.
27 – Sonhos vividos.
28 – Alucinação criadora do corpo imaginário
29 – Visões Míticas.
30 – Vontade e desejo de crer.

HIPÓTESES PARAPSICOLÓGICAS:

31 – Corpo Imaginário.
32 – Corpo Objetivo (Teoria da Projeção do corpo Astral).
33 – Ensaio da Morte Biológica.
34 – Estado alterado da consciência.
35 – Estado Auto-hipnótico (transe onírico)
36 – Fantasias geradas pela energia Psi.
37 – Fenômeno da Telepatia e Clarividência.
38 – Teoria Tautológica.
39 – Percepção Extra-sensorial, sem separação.
40 – Teoria da Informação (expansão da Consciência).
41 – Teoria dos Veículos da Consciência.

Resumo do que é Projeção da Consciência


Revista Sexto Sentido 17

Noções Gerais sobre a Projeção da Consciência

DEFINIÇÃO - Projeção da consciência é a capacidade que todo ser humano tem de projetar sua consciência para fora do corpo físico. Essa experiência pode ser chamada de diferentes formas, dependendo de cada doutrina ou corrente de pensamento: viagem astral (Esoterismo), projeção astral (Teosofia), experiência fora do corpo (Parapsicologia), desdobramento, desprendimento espiritual ou emancipação da alma (Espiritismo), viagem da alma (Eckancar), projeção do corpo psíquico ou emocional (Rosacruz), projeção da consciência (Projeciologia), entre outras.

VEÍCULOS DE MANIFESTAÇÃO DA CONSCIÊNCIA - Para que o leitor possa compreender esse fenômeno, é preciso deixar claro que a consciência possui diversos corpos ou veículos de manifestação, que se interpenetram e coexistem em frequências vibratórias diferentes. Esses veículos de manifestação podem ser divididos, a título de melhor entendimento, da seguinte maneira:

CONSCIÊNCIA;
CORPO MENTAL - (pensamento - plano mental);
PSICOSSOMA (corpo astral ) - (emoção - plano astral);
CORPO FÍSICO (manifestação - plano físico).

A consciência está sediada no corpo mental. O corpo mental está sediado na cabeça extrafísica do psicossoma. O psicossoma se estende por todo o corpo físico. O corpo físico é o veículo de manifestação mais denso que a consciência possui. Ele sustenta, em sua estrutura, os outros veículos de manifestação mais sutis e rarefeitos, que são o psicossoma e o corpo mental.

A projeção da consciência é o desprendimento temporário dos veículos de manifestação mais sutis (psicossoma e corpo mental) do corpo físico. Esse desprendimento pode se dar com o corpo mental e o psicossoma juntos ou somente com o corpo mental separado.

Quando a consciência projeta-se para fora do corpo físico, através do psicossoma, no plano astral, o fenômeno é denominado de "projeção astral". Quando esta se dá através do corpo mental, no plano mental, o fenômeno é denominado de "projeção mental" ou "projeção do corpo mental".

O nome "projeção da consciência" define mais adequadamente a experiência extracorpórea, pois abrange tanto a projeção astral quanto a projeção do corpo mental.

ESTRUTURA DO PSICOSSOMA - O psicossoma pode ser definido como a contraparte extrafísica do corpo físico, ao qual se assemelha e com o qual coincide minuciosamente, parte por parte. É uma réplica exata do corpo físico em toda a sua estrutura e é constituído de matéria astral, que vibra numa frequência mais sutil, e é infinitamente mais refinada do que a matéria física que constitui o corpo físico.

Por ser um veículo de matéria extrafísica, o psicossoma é normalmente invisível e intangível ao olhar e toques físicos. Durante o estado de coincidência, ou junção dos veículos de manifestação da consciência, ele interpenetra o corpo físico completamente. Assim, o psicossoma coincide com o corpo físico durante as horas em que a consciência está totalmente desperta. Mas, durante o sono, os laços que mantêm os veículos de manifestação unidos se tornam mais fracos e o psicossoma se destaca do corpo físico. Essa separação constitui o fenômeno da projeção da consciência. Pode ocorrer, não só durante o sono, mas, também, durante um transe, síncope, desmaio ou, ainda, sob a influência de um anestésico.

Normalmente, o psicossoma, quando projetado além do físico, mantém a forma daquele corpo, de modo que o projetor é facilmente reconhecido por aqueles que o conhecem fisicamente. Segundo muitos pesquisadores do assunto, isto deve-se ao fato de que a atração entre as partículas astrais e físicas, continuada através da vida física, instala um hábito ou impulso na matéria astral do psicossoma, que continua mesmo quando ele é temporariamente afastado do corpo físico adormecido. A partir desse mesmo princípio, explica-se a plasmagem da indumentária extrafísica, uma vez que deve-se considerar que a mente é o grande comandante da moldagem psicossomática, consciente ou subconscientemente. Devido ao fato de o corpo energético possuir uma capacidade de plasmagem de formas em sua estrutura, o psicossoma pode se apresentar, ocasionalmente, durante a projeção, com configurações não antropomórficas como: bola de luz, forma vaporosa, formato semi-humanoide, etc.

O nome "psicossoma" define mais adequadamente esse veículo de manifestação, já que, nos planos extrafísicos evoluídos, os espíritos desencarnados o denominam dessa forma. Portanto, é bom o projetor se acostumar com esse nome, pois ele é o mais usado fora do corpo. Entretanto, também é denominado de corpo astral, perispírito, duplo astral, corpo fluídico, corpo espiritual, etc.

A PROJEÇÃO INVOLUNTÁRIA E VOLUNTÁRIA - A projeção pode ser involuntária e voluntária. Na projeção involuntária, a pessoa sai do corpo sem querer e não entende como isso aconteceu. Geralmente, a pessoa se deita e adormece normalmente. Quando desperta, descobre que está flutuando fora do corpo físico, nas proximidades deste ou à distância, em locais conhecidos ou desconhecidos. Em alguns casos, a projeção ocorre antes mesmo de a pessoa adormecer. Na maioria das projeções involuntárias, a pessoa observa seu corpo físico deitado na cama e fica assustada, imaginando que está desencarnada. Alguns projetores ficam tão desesperados que mergulham no corpo físico violentamente, na ânsia de escapar daquela situação estranha. Outros pensam que estão vivendo um pesadelo e procuram desesperadamente acordar seu corpo físico.

Entretanto, há pessoas que se projetam involuntariamente e se sentem tão bem nessa situação que nem se questionam sobre que fato é aquele, como aconteceu e por quê. A sensação de liberdade e flutuação é tão boa que nada mais importa. Ao despertar no corpo físico, algumas imaginam que aquela vivência foi um sonho bom. Muitos sonhos de voo e de quedas estão relacionados diretamente com a movimentação do psicossoma durante a projeção.

Em contrapartida a essas projeções involuntárias, existem as projeções voluntárias, nas quais a pessoa tenta sair do corpo pela vontade e consegue. Nesse caso, o projetor comanda o desenvolvimento da experiência e está totalmente consciente fora do corpo; pode observar seu corpo físico com tranquilidade; viajar à vontade para lugares diferentes no plano físico ou extrafísico; encontrar com outros projetores ou com entidades desencarnadas. Pode voar e atravessar objetos físicos, entrando no corpo físico no momento em que desejar.

CORDÃO DE PRATA - O psicossoma é ligado ao corpo físico por um apêndice energético conhecido como Cordão de Prata, através do qual é transmitida a energia vital para o corpo físico, abandonado durante a projeção. Em contrapartida, o Cordão de Prata também conduz energias do corpo físico para o psicossoma, criando um circuito energético de ida e volta.

Esse interfluxo energético mantém os dois veículos de manifestação em relação direta, independentemente da distância em que o psicossoma estiver projetado. Enquanto os dois corpos estão próximos, o cordão é como um cabo grosso. À medida que o psicossoma se afasta das imediações do corpo físico, o cordão torna-se cada vez mais fino e sutil.

O cordão tem recebido diversas denominações: cordão astral, cordão fluídico, fio de prata, teia de prata, cordão luminoso, cordão vital, cordão energético, etc.

Um dos medos básicos dos iniciantes é o de que o cordão energético possa se romper durante a projeção, acarretando, assim, a morte do corpo físico. Tal medo é infundado, pois isso não acontece. O vigor e a elasticidade do cordão de prata são incalculáveis. Por mais distante que o projetor estiver, o cordão sempre o trará de volta ao seu corpo físico. Também é impossível o projetor se perder fora do corpo ou não querer voltar mais ao físico. Para voltar, basta pensar firmemente no seu corpo físico e o retorno se dará automaticamente. O cordão de prata possui uma espécie de automatismo subconsciente que funciona independentemente da vontade do projetor e atrai o psicossoma de volta para o físico, quer ele queira voltar ou não.

O interfluxo de energias através do cordão de prata gera uma ligação íntima e direta entre o psicossoma projetado e o corpo físico abandonado. Se surgir alguma perturbação física no ambiente onde repousa o corpo físico, o psicossoma será imediatamente atraído pelo cordão de prata para dentro dele.

É nesse instante que muitos projetores têm a sensação de queda e acordam assustados no corpo físico. Isso é chamado de "repercussão física" e pode ocorrer de maneira suave ou abrupta, dependendo da distância e da velocidade com que o psicossoma for atraído de volta para o corpo físico.

PONTO DE LIGAÇÃO DO CORDÃO DE PRATA NOS CORPOS - O cordão de prata não é apenas uma corda de energias; ele é um feixe de energias, um emaranhado de filamentos energéticos interligados. Quando ocorre a projeção, esses filamentos energéticos, embutidos em toda a extensão do corpo físico, projetam-se simultaneamente de todas as partes dele e se reúnem, formando o cordão de prata. Os principais filamentos energéticos são aqueles que partem da área da cabeça, através dos chacras coronário e frontal e, ao que tudo indica, da glândula pineal, no interior do crânio. Na parte projetada, o cordão se liga na parte posterior da cabeça extrafísica do psicossoma. Segundo alguns pesquisadores, o cordão de prata é mencionado até mesmo na bíblia: Eclesiastes: cap. 42, vers. 6, 7 e 8: "...Antes que se rompa o fio de prata, e se despedace o copo de ouro, e se quebre o cântaro junto à fonte, e se desfaça a roda junto ao poço, e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus que o deu. Vaidade de vaidade, diz o Pregador, tudo é vaidade”.

FAIXA DE ATIVIDADE DO CORDÃO DE PRATA - Durante a projeção, é formada uma cúpula de energias que envolve totalmente o corpo físico. Essa cúpula se estende de três a quatro metros ao redor do corpo, em todas as direções. Sua origem e funcionamento estão intimamente relacionados com a ação do cordão de prata, do qual ela faz parte. É, por assim dizer, a parte mais densa do cordão de prata que se expande e envolve o físico, vedando-o totalmente. Esse perímetro energético é denominado faixa de atividade do cordão de prata e é responsável por uma série de fenômenos projetivos, tais como: catalepsia, oscilações do psicossoma, tração do cordão de prata, repercussões físicas, ballonnement, etc.

Portanto, o projetor não deve recear que alguma entidade desencarnada se aposse de seu corpo físico, abandonado durante a projeção. Isso é impossível, devido à ação dessa faixa de atividade do cordão de prata, que mantém o corpo físico isolado de qualquer interferência extrafísica.

CATALEPSIA PROJETIVA - Ocasionalmente, o projetor pode sentir uma paralisia de seus veículos de manifestação, principalmente dentro da faixa de atividade do cordão de prata. Essa paralisia é chamada "catalepsia projetiva ou astral". Não deve ser confundida com a catalepsia patológica, que é uma doença rara.

A catalepsia projetiva pode ocorrer antes ou depois da projeção. Ocorre, geralmente, da seguinte maneira: a pessoa desperta durante a noite e descobre que não pode se mover. Parece que uma força invisível lhe tolhe os movimentos. Desesperada, ela tenta gritar, mas não consegue. Tenta abrir os olhos, mas também não obtém resultado. Alguns criam fantasias subconscientes, imaginando que um espírito lhes dominou e tolheu seus movimentos. O fenômeno dura apenas alguns instantes, mas, para a pessoa, parece que foram horas de agonia.

Por incrível que pareça, essa catalepsia é benigna e pode produzir a projeção, se a pessoa ficar calma e pensar em flutuar acima do corpo físico.

A essa altura, o leitor que alguma vez vivenciou tal experiência deve estar pensando que essa técnica de saída do corpo é bastante perigosa. Entretanto, ela não apresenta nenhum risco; pelo contrário, é totalmente inofensiva. É um fenômeno que ocorre com muitas pessoas, todas as noites, em todo o planeta. Se você questionar as pessoas de seu círculo familiar e de amizades, constatará que muitas delas já passaram por esse tipo de experiência algum dia.

Portanto, se o leitor se encontrar numa situação dessas alguma vez, não tente se mover. Fique calmo e pense firmemente em sair do corpo e flutuar acima dele. Não tenha medo nem ansiedade e a projeção se realizará.

Caso o leitor não pretenda se arriscar e queira recuperar o controle de seu corpo físico, basta tentar, com muita calma, mover um dedo da mão ou uma pálpebra que, imediatamente, irá readquirir o movimento. Entretanto, se a catalepsia projetiva ocorrer, não desperdice a oportunidade e procure sair do corpo.

AMPLITUDE DA PROJEÇÃO - Muitos pensam que a projeção é um dom parapsíquico que só certos sensitivos privilegiados possuem. Outros acreditam que seja mediunidade. Nem uma coisa, nem outra, pois a projeção não é um dom, nem tampouco mediunidade. É um potencial parapsíquico que toda consciência, encarnada ou desencarnada possui (o desencarnado projeta-se do plano astral para o plano mental). Qualquer pessoa pode sair do corpo, desde que se motive para isso com esforço e dedicação. Não precisa ser iniciado em nenhuma espécie de esoterismo ou sociedade secreta. A projeção é animismo da pessoa, uma faculdade psíquica.

Ela pode ocorrer independentemente de idade, sexo, credo político ou religioso, raça, grau de cultura e nível de evolução. É uma capacidade parapsíquica inata em todos os seres humanos. Não pertence a nenhum mestre, doutrina ou instituição. É um patrimônio psíquico de cada cidadão do Universo que deve ser desenvolvido e dinamizado para melhor auxiliar as consciências em seu processo de crescimento e evolução. A projeção é o fenômeno parapsíquico mais abrangente e prático de todos, pois coloca os planos extrafísicos ao alcance do projetor que, através da experiência pessoal direta, adquire informações novas e reformula conceitos antigos, manifestando-se com mais coerência e racionalidade. Além disso, renova o projetor, pois o contato direto com realidades mais avançadas o estimula a ter um desempenho mais produtivo.

SONEGAÇÃO DE INFORMAÇÃO - O fenômeno da projeção é conhecido desde a Antiguidade. Porém, o assunto era envolto numa cortina de mistérios iniciáticos por parte de sociedades secretas que, através de simbolismos e informações falsas, mantiveram este conhecimento oculto por muitos séculos.

Atualmente, a situação é bem diferente, pois, desde o final do século XIX, muitos projetores e pesquisadores começaram a publicar livros e artigos sobre o assunto, iniciando-se, assim, uma grande difusão do tema. Hoje em dia, é muito fácil ter acesso à essas informações. Para orientação do leitor que desejar pesquisar com maior profundidade o assunto, inserimos uma bibliografia específica sobre a projeção. Não obstante o grande número de publicações a respeito da projeção (livros, filmes, desenhos, cursos, histórias em quadrinhos, revistas, etc), ainda existem ocultistas fanáticos e espiritualistas ortodoxos que acham perigosa tal divulgação. Em plena era da informática e da comunicação, ainda existem pessoas condicionadas a velhos e antiquados esquemas iniciáticos ou mediúnicos de sonegação de informações. Tais pessoas publicam livros com informações deturpadas, com a finalidade nítida de bloquear o assunto e inocular o medo nos leitores interessados. Portanto, caso o leitor se depare com algum livro que mencione muitos perigos na projeção astral, desconfie e avalie as informações. Compare-as com as de outros autores e tire suas próprias conclusões. Não deixe de tentar sair do corpo devido a idéias obscurantistas. Não tenha medo de aprender a se reciclar constantemente.

BIBLIOGRAFIA

PROJEÇÃO CONSCIENTE

1 - BLACKMORE, Susan J.; Experiências Fora do Corpo. São Paulo, Ed. Pensamento;
2 - BORGES, Wagner D. Eloi; Viagem Espiritual, Vols. 1, 2 e 3; Londrina, Paraná; Ed. Universalista;
3 - BOZZANO, Ernesto; Fenômenos de Bilocação. São Paulo, Ed. Correio Fraterno;
4 - BREENAN, J.H. Projeção Astral. Rio de Janeiro, Ed. Bertrand Brasil;
5 - BUHLMAN, William. Aventuras Além do Corpo. Rio de Janeiro, Ediouro;
6 - COUTINHO, Marco Antonio. Além do Corpo: A Arte Tradicional das Experiências Fora do Corpo. Rio de Janeiro, Ed. Mauad;
7 - CROOKALL, Robert; The Study and Practice of Astral Projection; New York; University Book;
8 - FOX, Oliver (Pseud. de Hugh G. Callaway); Astral Projection: A Record Of Out-of-the-Body Experiences; U.S.A., N.J.; The Citadel Press; Secancus;
9 - FROST, Gavin, e FROST, Yvonne; Viagem Astral; São Paulo, Ed. Siciliano;
10 - GREENHOUSE, Herbert B.; Viaje Astral; Barcelona, Ed. Martinez Roca;
11 - LONDON, Jack. O Andarilho das Estrelas. São Paulo, Ed. Axis Mundi;
12 - MARTIN, Anthony; Teoria e Prática da Projeção Astral: Viagens Além do Corpo Físico; Rio de Janeiro, Ed. Tecnoprint (EDIOURO);
13 - MAIA, João Nunes; Iniciação: Viagem Astral; Minas Gerais, Ed. Espírita Fonte Viva;
14 - MATTOS, Luiz Roberto; Sana Khan: Um Mestre no Além; pref. Wagner Borges; Paraná; Ed. Universalista;
15 - MEDEIROS JR.; Geraldo; Relatos de um Projetor Extrafísico; São Paulo, Petit Editora;
16 - MEDEIROS JR., Geraldo. Viagem Extrafísica. São Paulo, Ed. Forever;
17 - MONROE, Robert Allan; Viagens Fora do Corpo, Rio de Janeiro, Ed. Record;
18 - MULDOON, Sylvan Joseph, e CARRINGTON, Hereward Herbert Levington; A Projeção do Corpo Astral; São Paulo, Ed. Pensamento;
19 - PRADO, Hamilton; No Limiar do Mistério da Sobrevivência: Experiências com o Eu Astral; São Paulo, Serviço Social Batuira;
20 - RIBERO, Eunice; Perfume do Invisível; Paraná, Ed. Universalista;
21 - RICHELIEU, Peter; A Viagem de uma Alma; São Paulo, Ed. Pensamento;
22 - RITCHIE, George Gordon, e SHERRIL, Elisabeth; Voltar do Amanhã; Rio de Janeiro, Ed. Nórdica;
23 - STACK, Rick; Viagem Astral: As Aventuras Fora do Corpo; Rio de Janeiro, Ed. Campus;
24 - VASCONCELOS, Vasco. O Homem de Três Corpos. Paraná, Ed. Universalista;
25 - VIEIRA, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências Fora do Corpo; Rio de Janeiro, Ed. IIPC;
26 - VIEIRA, Waldo; Projeções da Consciência: Diário de Experiências Fora do Corpo Físico; Paraná, Ed. IIPC;
27 - YRAM (Pseud. de Marcel Louis Fohan); Practical Astral Projection; New York, Samuel Weiser;

NÍVEIS DE PROJEÇÃO ASTRAL

Autor: Luiz Roberto Mattos

Costumamos falar sobre projeção astral, ou desdobramento, como é mais conhecida a projeção no meio espírita, de forma genérica, sendo o fenômeno de saída do corpo físico, mas não fazemos normalmente distinção do que venho pensando recentemente se tratar de níveis de projeção.

Explicarei melhor.

Todos nós, quando dormimos, saímos do nosso corpo físico. Ou melhor, quando nosso corpo físico entra no que chamamos de sono, por necessidade de repouso e refazimento, nós, espíritos, o deixamos temporariamente, e retornamos ao nosso mundo original, que os espíritas chamam de forma genérica de mundo espiritual, e outras correntes subdividem em plano astral, plano mental, etc.

É o corpo físico que dorme! E nós, espíritos, o deixamos, conscientes.

Todavia, nem sempre nos lembramos dessas saídas, nem do que fazemos, nem para onde vamos.

Ao deixarmos o corpo físico, podemos permanecer apenas no nosso quarto, ou na nossa casa, ou sairmos pela nossa cidade, ou irmos a outros países, mas permanecendo apenas em contato visual com o mundo material, o plano físico, e nessa situação, podemos, algumas vezes, ver coisas e depois confirmarmos que elas de fato existem; ver acontecimentos e lugares e depois confirmarmos a sua existência.

Dou um bom exemplo disso na experiência do ovo frito, em uma projeção acontecida em 1978, em minha casa, quando tinha 20 anos, e estava começando as minhas experimentações de projeção. E esse relato pode ser lido na íntegra no meu livro Sana Khan – Um Mestre no Além, volume I, e novamente, mais profundamente analisado, no início do volume III.

Vi cenas e pessoas pela manhã cedo em minha casa, e quando despertei e fui até a copa pude confirmar que tudo o que eu vi lá quando estava projetado havia mesmo acontecido, igualzinho.

Considero esse tipo de projeção como Projeção do Tipo 1.

A Projeção do Tipo 1 é aquela em que saímos do corpo físico e apenas ficamos em contato com o plano físico, o mundo que chamamos de material, vendo o mundo físico como ele é, em que pese podermos também ver espíritos, tanto encarnados quanto desencarnados em nossa casa, nas ruas, e em qualquer lugar aonde formos, mas apenas no plano físico, apesar de estarmos fora do corpo.

Podemos nos projetar com plena consciência, como muitos gostam de chamar o que hoje apenas considero ser a lembrança do momento da saída do corpo, pois dele sempre saímos com consciência, e apenas mantermos contato com o plano físico, material, sem descermos ou subirmos dimensionalmente, sem irmos ao mundo espiritual propriamente dito, sem irmos aos planos astral, mental, etc. Sem entrarmos em contato com as cidades, vales, florestas, mares, rios, etc, do mundo espiritual. Sem descermos ao chamado umbral, ou aos abismos, nem subirmos aos planos mais sutis de existência.

Na Projeção do Tipo 2, saímos do corpo e mudamos de dimensão, passando a estar em contato real com o plano astral, mas nas zonas inferiores, no umbral ou nos abismos. Ou seja, nesse tipo de projeção, mesmo com plena consciência, apenas entramos em contato e mantemos relação com o plano astral inferior. Vamos a cidades no umbral, vales sombrios, estruturas de construções sombrias, como descreve André Luis em suas obras psicografadas por Chico Xavier, ou descemos ainda mais fundo, nos vales de grande dor e sofrimento nas regiões mais profundas da Terra, como descritos no livro O Abismo, de Ranniere, ou ainda em Senhores da Escuridão, psicografado por Robson Pinheiro.

Nesse tipo de projeção, do Tipo 2, saímos do corpo e apenas descemos, por afinidade vibratória, em busca de prazeres e coisas de que gostamos e que encontramos nas regiões inferiores do astral, ou vamos lá para trabalhar, para resgatar seres em sofrimento.

Na Projeção do Tipo 3, saímos do corpo e mudamos também de ambiente, mudamos de dimensão, mas dessa vez subimos, indo a regiões do mundo espiritual onde impera a claridade, onde não há dor e sofrimento, onde só há espíritos felizes. Vamos para o astral superior.

Nesse tipo de projeção, visitamos cidades espirituais que recebem a luz solar, em outro nível, onde a vida é inicialmente parecida com a da Terra, nas primeiras camadas do Plano Astral, mais perto da crosta terrestre, como a famosa cidade Nosso Lar, descrita no livro de igual título, e, quanto mais subimos, mais vamos encontrando cidades mais e mais avançadas, com transportes mais rápidos, alimentação menos sólida, até chegarmos a cidades onde as pessoas não precisam de meios de transporte externos, porque podem voar à vontade em grande velocidade, e não precisam mais comer, dormir, nem fazer as chamadas necessidades fisiológicas.

Na Projeção do Tipo 4, saímos do corpo físico, mudamos de dimensão, e vamos direto ao plano mental, ou mundo espiritual ainda mais elevado, onde a “matéria” é muito mais plástica, podendo ser manuseada mais facilmente pelo simples poder da vontade, pelo pensamento firme, direcionado e concentrado.

Não vamos tratar aqui e agora da Projeção do Tipo 5, porque ela vai além da nossa compreensão nesse momento, que seria a projeção a plano ainda mais sutil, o Plano Causal. Isso não é para nós ainda.

Vamos ficar, por ora, com a projeção nos níveis 1 a 4.

Quando nos projetamos e ficamos apenas no plano físico, que é a Projeção do Tipo 1, isso ocorre por vários motivos e fatores.

Um deles é o nosso condicionamento ao mundo material. O nosso apego ao que conhecemos. As formas conhecidas, o modo de vida, o estilo de vida, etc, e tudo isso nos prende de certa forma a este plano físico, mesmo quando saímos do corpo físico.

Muitas pessoas saem do corpo até com certa facilidade, com certa lucidez, mas ficam apenas ligadas ao plano físico, ao mundo material, vendo sua casa, sua rua, sua cidade, e, às vezes, viajam rapidamente a outras cidades e até outros países. Mas não passam para outras dimensões, porque o condicionamento não dá a necessária abertura mental para a mudança do foco consciencial indispensável para mudarem de plano, de dimensão.

Além disso, há questões de ordem alimentar.

Quando comemos muito, principalmente antes de dormir, e sobretudo alimentos sólidos e de difícil digestão, sobretudo carnes compactas, mantemos a energia densa desses alimentos por muito tempo em nosso veículo físico, e isso nos prende de certa forma ao plano físico, e mesmo que saiamos do corpo, apenas viajaremos pelo plano físico. Não conseguimos mudar de dimensão, pois estaremos muito mais presos ao corpo físico envolto em energia muito densa e material.

Já tive projeções conscientes fantásticas depois de comer peixe, tomar coca-cola, um pouco de vinho e ainda café tarde da noite, mas apenas projeções do Tipo 1. Apenas fiquei no plano físico. Muito reais as projeções, maravilhosas, mas apenas no plano físico. A saída astral para fora da Terra, relatada no início do volume III do Sana Khan, é um bom exemplo disso.

Se quisermos mudar de dimensão, principalmente subir aos planos mais elevados, como o Plano Astral superior e ao Plano Mental, precisamos mudar nosso padrão mental, emocional, e também de sentimentos, bem como cuidar mais de nossa alimentação, pois tudo isso tornará nossos corpos astral e mental mais sutis, permitindo que possamos verdadeiramente subir consciencialmente, ascender vibratoriamente e, aí sim, visitar cidades fantásticas nos planos de luz, onde moram os seres iluminados.

A Projeção do Tipo 1 é o início de tudo, pois ela nos dá a certeza de que realmente estamos fora do corpo, pois podemos muitas vezes ver coisas no plano material e depois confirmar que elas realmente existem, o que nos dá confiança e certeza da realidade e da veracidade de nossas projeções. Acho que todos precisam passar por isso, pois se começarem pela Projeção do Tipo 2 ou as demais, para cima, vão ter muito mais dificuldade de compreensão, uma vez que no Plano Astral vão se deparar com coisas que parecerão surrealistas, como monstros estranhos, dragões, vampiros, serpentes enormes, demônios alados daqueles que vemos em pinturas religiosas, lobisomens, etc.

Quando vemos essas coisas, e não estamos ainda preparados para aceitar a sua existência e realidade, pensamos que isso não passa de fruto de nossa imaginação, ou que fomos influenciados pelos filmes infantis, pelos desenhos animados de nossa infância, pelas modernas animações, etc.

Todavia, com o tempo, vamos vendo que muitas dessas coisas que os filmes e desenhos mostram de fato existem, e que elas foram em verdade criadas a partir de viagens astrais dos desenhistas, dos escritores, roteiristas de cinema, etc.

Até mesmo cientistas descobrem e criam coisas depois de uma viagem ao mundo espiritual, depois de uma projeção astral. Isso é muito mais frequente e comum do que nós podemos pensar. E nem mesmo eles têm consciência disso.

Comecemos com a Projeção do Tipo 1, para depois avançarmos pelas demais, dos Tipos 2, 3 e 4.

Nem todos estão preparados, sobretudo no início, para descerem às zonas escuras, que podem ser assustadoras, e muito perigosas. E nem todos reúnem já as condições para ascenderem tampouco às zonas mais elevadas, superiores, de luz, de paz, onde impera já o amor.

A maioria de nós está ainda no meio termo, começando a sair do corpo, começando a descobrir que isso é possível, e que é real; descobrindo que verdadeiramente existem outras dimensões, outros mundos, outros universos paralelos, e que eles podem ser mesmo explorados pelos viajantes astrais.

O praticante da projeção astral é um pesquisador, um observador, um desbravador, que se lança e se aventura por mundos desconhecidos, como Colombo fez nos mares no século XV, e os astronautas fazem no espaço, com riscos e perigos, mas com coragem.

Sem coragem, é melhor nem se atrever a explorar o Plano Astral, sobretudo as zonas escuras, pois ele tem coisas realmente assustadoras.

Projeção astral com consciência, com estudo, com equilíbrio e seriedade, e sempre pedindo a devida proteção dos amigos espirituais, para a garantia da nossa segurança.

Boa viagem a todos os navegantes astrais!

Muita Paz.

Salvador, 04 de agosto de 2010.
Luiz Roberto Mattos








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...