domingo, 17 de julho de 2011

Terapias Holísticas III


HOMEOPATIA

Os princípios homeopáticos foram determinados por Samuel Hahnemann no final do século XVIII, e foram baseados na cura pelo semelhante (Similia Similibus Curantur), isto é, uma substância capaz de produzir determinada alteração (sintoma) em um indivíduo saudável, teria a capacidade de curar esta alteração, em uma condição de doença, quando dada em doses pequenas.

Samuel Hahnemann nasceu em Meissen, pequena cidade alemã, em 1755. Formou-se em Medicina em 1779. De Hipócrates, estudou os fenômenos vitais, de Paracelso o princípio a Similia Similibus Curantur e, de Platão a alma como causa da vida. Mas foi estudando a Matéria Médica de Cullen, em 1790, que resolveu testar em si próprio as propriedades da China officinalis (retirada da casca de arbustos chamados Rubiáceas), indicada para curar febre por ser capaz de produzir febre. A cada dose ingerida um acesso de febre intermitente o assaltava. Este fato o impressionou de tal forma, que começou a registrar observações sobre o efeito das substâncias no corpo de outras pessoas, como continuou a fazer experiências no próprio corpo com diferentes medicamentos.


Em 1810 publicou seu livro mestre, chamado "O Organon da Ciência Médica Racional", que foi aperfeiçoado em 1819, mudando o nome para "O Organon da Arte de Curar". Estava assim criada a Homeopatia !

No Brasil, se fala em Homeopatia desde 1818 porém, só em 1840, através do Dr. Bento Mure, médico francês, é que se iniciou sua propagação no Rio de Janeiro.

Em 1843 fundou-se o Instituto Homeopático do Brasil. Porém, só em 1980, é que a Homeopatia foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina e, em 1990, passou a constar do Conselho de Especialidades Médicas da Associação Médica Brasileira, deixando, assim, de fazer parte das terapias alternativas.

Texto elaborado por Sonia Maria Coutinho Orquiza, fonte: O Guia de Medicina Homeopática, Dr. Nilo Cairo, 1876, Livraria Teixeira


IRIDOLOGIA

Iridologia é o estudo da íris através de análises das alterações existentes, representadas por raios, desenhos, pontos, buracos ou mudanças de cores, revelando, assim, estados físicos e emocionais. É uma leitura participativa, sendo imprescindível a presença do interessado. Primeiramente, é feita a anamnese (perguntas à pessoa sobre o que ela sente); as alterações são anotadas para que, depois, sejam discutidas a dois. Como nem tudo é elucidativo - há sinais muito próximos um do outro, como por exemplo, a garganta e a tireoide - o interrogatório se faz necessário.

Pela íris não é revelado, por exemplo, se uma pessoa tem diabetes, mas que há deficiência no pâncreas, podendo ser, por exemplo, hipoglicemia (falta de açúcar no sangue) ou hiperglicemia (excesso de açúcar - diabetes), sendo um o inverso do outro.

É possível saber, no entanto, se a doença está em estado agudo ou crônico, qual a emoção envolvida e, muitas vezes, qual o nutriente necessário para suprir a carência existente. Percebe-se, ainda, se a constituição física é boa ou ruim, as tendências, hereditariedade, como está o sistema imunológico, se o corpo tem capacidade de reagir a determinada doença, se o sangue está limpo ou intoxicado, se há contaminações etc.

O que mais chama a atenção ao examinar uma íris é a área que representa o aparelho digestivo, onde vemos, claramente, as inflamações, queda de cólon, prisão de ventre, gases etc. Fica claro que toda doença nasce nos intestinos e, daí, segue para outras partes do corpo. Este é o órgão “chave” para a cura; não se pode curar nenhuma enfermidade deixando o intestino doente. Para onde vão as fezes que deveriam ser eliminadas? As eliminações são necessárias. Exemplo disso é o recém-nascido, que usa o alimento mais puro do mundo, o leite materno, e se encontra em estado harmônico, sem preocupações nem estresse. Esta criança precisa defecar, e, se isto não acontecer, vai ter cólicas, gases – inícios de outra doença.

MAGNETOTERAPIA

Magnetoterapia é uma terapia praticada pela medicina alternativa baseada na influência dos campos magnéticos estáticos sobre o corpo humano. Os adeptos desta prática afirmam que ela seria capaz de tratar efetivamente diversas doenças sobretudo de ordem reumática.

Existem no mercado diversos dispositivos destinados à magnetoterapia, tais como pulseiras, colchões, travesseiros e até mesmo magnetizadores de água.

O Que é o Magnetismo:

O magnetismo é uma força gravitacional emitida do centro do globo terrestre.

Alguns físicos propõem que existe um gigantesco magneto permanente no centro da Terra ou uma corrente elétrica que é responsável pelo campo magnético da Terra, transformando-a num imenso imã, energia esta chamada de geomagnetismo, que atua sobre todos os seres vivos, trazendo grandes benefícios para saúde.

O Que é Magnetoterapia:

Magnetoterapia é a ciência que estuda e trata os desequilíbrios eletromagnéticos do corpo humano, auxiliando no tratamento de diversos distúrbios em nosso organismo.

Nosso planeta é regido por duas forças básica: gravitacional e magnética. A Terra funciona como um grande bloco de ímã, e a energia que recebe tem o nome de geomagnetismo, que atua de maneira benéfica sobre todos os seres vivos, com a função primordial de manter nossa saúde.

Nascido na Índia, aperfeiçoado na China e exaustivamente pesquisado no Japão nos últimos 30 anos, o magnetismo tem a função ímpar de equilibrar as energias que se alteram com o desgaste da vida moderna.

Estudos da Universidade de Osaka afirmam que a energia geomagnética se reduziu em 50% nos últimos quinhentos anos. Com o aparecimento do concreto, do asfalto, dos calçados de borracha e de plástico, dos automóveis etc. perdemos o contato com a mãe Terra.

O Magnetismo e o Organismo:

O corpo humano é composto de aproximadamente 65% de água. Grande parte dessa água é encontrada no sangue, e é através da circulação sanguínea que os glóbulos vermelhos levam oxigênio e nutrientes à todas as células do corpo.

Pesquisas realizadas no Japão e no Brasil confirmam que a aplicação constante do magnetismo no organismo, principalmente na região do pâncreas, provoca um aumento da produção de insulina, sendo, portanto, um importante elemento de ajuda no tratamento de diabetes (não-insulino dependentes).

Outras pesquisas apontam que tecidos ósseos fraturados apresentam melhora de 20% a 40% quando submetidos a tratamentos de magnetos, reduzindo o tempo de consolidação.

Quando aplicamos sobre o cérebro e medula espinhal, provoca melhora acentuada no aproveitamento do oxigênio pelos neurônios, evitando o estresse e contribuindo para maior vida útil dessas células, que não são renováveis, e prevenindo doenças cerebrais degenerativas.

Com todas essas vantagens, a magnetoterapia é tanto curativa quanto preventiva e, por ser um tratamento energético natural, não tem contra-indicação.

Água Magnetizada:

ingestão de água imantada tem comprovada eficácia e não pode basicamente, em nenhuma hipótese, produzir danos ou efeitos indesejados, podendo ser utilizada por qualquer pessoa. Porém, ela não substitui tratamentos médicos.


NATUROPATIA

Naturopatia é um sistema multidisciplinar de manutenção da saúde que engloba diversos elementos, como alimentação saudável, água pura, exercícios e repouso.

Segundo os naturopatas, o ideal para alcançar e manter a saúde é utilizar o poder curativo da natureza em detrimento das drogas. O próprio organismo, quando bem tratado e nutrido, tem a capacidade de manter-se saudável.

Indicação: A Naturopatia fortalece o sistema imunológico, defendendo o organismo de doenças em geral. Apresenta excelentes resultados em diversos distúrbios, como anemia, artrite, prisão de ventre, úlceras, sinusite, problemas circulatórios e muitos outros.

Método: Existem três princípios que regem a naturopatia: a força vital, os sintomas da doença e o tratamento holístico e natural.

Força vital: O organismo possui uma força vital curativa capaz de manter um estado de harmonia, chamado de homeostase. Este estado tende à saúde perfeita, que não é entendida como ausência de doenças, mas como o estado em que nos sentimos bem física, emocional e mentalmente.

A doença, entendida como fenômeno normal, pode ser fruto de diversos fatores que causam o desequilíbrio: hereditariedade, lesões, má alimentação, eliminação deficiente de excreções, poluentes, uso de drogas, etc.

O objetivo dos naturopatas é identificar a causa do desequilíbrio e ajudar o organismo a recuperar a melhor condição da sua força vital e o equilíbrio homeostático.

Os sintomas da doença: os sintomas são apenas sinais de que a força vital está lutando contra alguma enfermidade. Não devem ser suprimidos em corpos saudáveis. É normal padecermos na luta contra doenças como o sarampo ou gripes fortes.

Segundo a Naturopatia, doenças infantis (como catapora e sarampo) são importantes, pois fortalecem o sistema imunológico da criança para a fase adulta. Por este motivo, não se indica a vacinação, mas a preparação do indivíduo, por meio de procedimentos naturais, para enfrentar as doenças quando elas aparecerem. O mesmo raciocínio aplica-se a resfriados e gripes. A experiência dos naturopatas aponta que essas batalhas diminuem a incidência de bronquite e doenças degenerativas em fases posteriores da vida.

O tratamento: Deve ser holístico e natural. O objetivo é fortalecer a capacidade de cura inata do organismo e fazer com que o órgão atingido pela enfermidade entre em equilíbrio com o resto do corpo. A maior ênfase é colocada no estilo de vida, mas também no tratamento, os elementos utilizados devem ser naturais, como luz solar, alimentos integrais, relaxamento, ar puro, etc.

Dieta, jejum, hidroterapia e psicoterapia também fazem parte dos meios empregados para tratamento.

Os naturopatas afirmam que a saúde baseia-se na estrutura do corpo, em sua bioquímica e nas emoções. Por estrutura do corpo entenda-se músculos, tendões, ossos, postura, ligamentos, etc. Por bioquímica, entenda-se os efeitos causados pelos alimentos e pelas bebidas que ingerimos. Por emoções, entenda-se todo tipo de emoção, umas benéficas, outras maléficas para o organismo, como o ódio, rancores e Cia. Estes perturbam a digestão, o controle hormonal e outras funções orgânicas.

QUIROPRAXIA

A Quiropraxia é uma profissão na área da saúde que se dedica ao tratamento de problemas do sistema músculo-esquelético. Através de técnicas de terapia manual, exercícios e orientação postural, os quiropraxistas procuram diminuir a dor e tensão, restaurando a movimentação normal.

Quem deve procurar um Quiropraxista?





As principais condições tratadas com Quiropraxia são:


  • Dores na coluna vertebral
  • Dores de cabeça
  • Dores e tensão muscular
  • Dores articulares
  • Restrições à movimentação


Como é o tratamento?

O tratamento proposto, após uma entrevista e exame clínico minuciosos, consiste de três fases integradas:
  • Terapia manual e métodos físicos
  • Exercícios para reabilitação
  • Orientação
Como é a terapia manual?

Varias técnicas foram desenvolvidas para restaurar a movimentação livre e indolor:
  • Articulações: manipulação ou ajustamento articular e um movimento rápido e preciso, normalmente acompanhado por um estalido. Após o ajustamento, observa-se diminuição da dor, relaxamento muscular e aumento da mobilidade.
  • Músculos: realiza-se uma delicada palpação para localizar e dissipar áreas de tensão muscular, seguida pelo alongamento passivo dos músculos.
  • Postura: dores músculo-esqueléticos costumam causar alterações posturais. Nestes casos são utilizados métodos de tração suave de forma a auxiliar a recuperação de uma postura normal.


O que são métodos físicos?
  • Aplicação de compressas frias e quentes, ultra-som e eletroterapia têm um rápido efeito no alivio da dor, sendo especialmente úteis para permitir o inicio da realização de exercícios.
Qual o objetivo dos exercícios?
  • Permanecer em atividade é uma orientação importante para pessoas com dores músculo-esqueléticas. São prescritos exercícios para estabilizar e fortalecer as áreas afetadas, bem como alongamentos para aumentar a flexibilidade e diminuir a tensão muscular.
Que orientação e dada aos pacientes?
  • Durante o tratamento são oferecidas instruções sobre como manter uma postura e atividades adequadas para evitar novos episódios de dor, considerando-se o estilo de vida de cada pessoa.
Quanto tempo dura o tratamento?
  • Inicialmente os pacientes são tratados uma a três vezes por semana, com redução da frequência conforme a melhora dos sintomas. É comum tratamentos durarem entre um e quatro meses.
Quais são os riscos?
  • Como todo método terapêutico, os tratamentos realizados por quiropraxistas têm indicações e contra-indicações precisas. Quando realizado por profissionais qualificados, os riscos são extremamente reduzidos.
  • Ao procurar um quiropraxista, certifique-se de que ele possua uma formação compatível com os padrões preconizados internacionalmente.
Como surgiu a Quiropraxia?
  • Em 1895, nos Estados Unidos, Daniel D. Palmer começou a tratar pessoas através de manobras manuais, dando à profissão seu nome atual.
Como é a formação de um quiropraxista?
  • A quiropraxia é um curso universitário com duração de cinco anos. 0 currículo consiste de uma extensa educação em ciências biomédicas, métodos diagnósticos e terapêuticos. e prática clínica.
Onde são oferecidos cursos de Quiropraxia?
  • As faculdades de quiropraxia estão localizadas, principalmente, nos Estados Unidos, mas há cursos oficialmente reconhecidos no Canadá e em países da Europa, Oceania e Asia. Atualmente, há, aproximadamente, 70.000 quiropraxistas mundialmente, dos quais 50.000 encontram-se nos Estados Unidos.
Como é a Quiropraxia internacionalmente?
  • Nos países onde é oficialmente reconhecida, como Estados Unidos, Canadá e vários países da Comunidade Européia, a Quiropraxia é integrada aos sistemas nacionais de saúde. A Federação Mundial de Quiropraxia, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, representa a Quiropraxia internacionalmente.
REFLEXOGRAFIA

A Reflexologia é uma terapia complementar que compreende o tratamento de vários distúrbios pela aplicação de pressão nos pés ou mãos. O tratamento de todo o corpo é feito através de determinados pontos, em áreas precisas dos pés e das mãos, relacionadas à regiões particulares do corpo chamadas “zonas reflexas”.

O tratamento compreende a aplicação de pressão com a ponta do polegar ou dos dedos sobre pontos reflexos precisos. Aplica-se uma pressão firme mas não muito forte, e a pessoa que recebe o tratamento experimentará sensações diferentes nas zonas dos pés ou das mãos. Essas sensações são interpretadas pelo terapeuta, indicando quais partes do corpo estão funcionando bem e quais não estão. De acordo com o grau de desconforto, maior ou menor, experimentado nas zonas pressionadas, é possível saber que partes correspondentes do corpo registram maior ou menor desequilíbrio.

A reflexologia é também uma técnica de diagnóstico – o que significa que pode ser usada para descobrir onde há desequilíbrios no corpo. Um reflexologista pode, então, atuar sobre estes desequilíbrios para tratar uma vasta gama de distúrbios. A reflexologia pode também ser usada preventivamente, para manter o corpo funcionando bem.

Assim como as demais terapias complementares, a reflexologia dá bastante tempo para que os clientes falem sobre si mesmos com o terapeuta, o que permite uma compreensão melhor do próprio cliente e de seus problemas.

Não são conhecidas as origens precisas da reflexologia, mas ela pode ter-se originado por volta da mesma época da acupuntura – cerca de 4.000 a.C. – porque essas duas artes compartilham muito dos mesmos princípios.

A reflexologia certamente estava em uso por volta de 2.330 a.C., como mostra o detalhe da pintura de parede da tumba de um médico em Saqqara, Egito. Contudo, é mais fácil pesquisar suas origens modernas.

O trabalho terapêutico nos pés foi documentado pela primeira vez, em seu começo, por volta da virada do século, pelo médico americano William Fitzgerald (1872-1942). Ele tinha conhecimento de que, na América do Norte e Central, os habitantes primitivos doentes eram tratados, desde longo tempo, nos pés. Também se encontram, ao mesmo tempo, antigas fontes provenientes de terras orientais, onde o tratamento dos pés é praticado ainda hoje, de maneira bem-sucedida, como medicina popular.

Durante anos, Fitzgerald examinou e sistematizou, com um grupo de médicos e terapeutas interessados, os pontos tradicionais do pé e seus efeitos. Ele é considerado o fundador da chamada ”terapia de zonas”, e publicou, em 1917, um livro com o mesmo título, no qual descreve suas experiências.


REIKI

Reiki é uma palavra japonesa que significa “Energia Vital Universal”. O Reiki não é uma religião e nem uma crença. Ele abre novos caminhos para experiência espiritual e o aprendizado. Para receber a técnica do Reiki, a pessoa precisa passar por uma iniciação feita por um Mestre de Reiki. Essa iniciação é feita pela imposição das mãos em forma de uma concha, visualizando símbolos (secretos) entrando no corpo da pessoa. Em uma iniciação, a pessoa que vai receber o Reiki, fica em uma posição confortável, com a coluna reta para facilitar a absorção de energias.

Geralmente, durante as sessões, muitos mestres de Reiki preferem ficar em silêncio para facilitar a conexão com seus mestres, seres superiores e outras energias. As posições são variadas, trabalhadas atrás da cabeça e na frente. A duração de uma iniciação pode levar de uma hora a uma hora e meia, variando de mestre para mestre.

Após esta iniciação a pessoa não precisa passar novamente por este processo para melhorar ou recuperar os seus canais de energia. A pessoa passa por uma grandiosa transformação, se tornando diferenciada das outras. Esta transformação permanece por toda a vida.

Uma vez que você foi iniciado, a energia do Reiki é, então, encaminhada através do corpo, num passo correspondente àquele que é necessário para a cura. O corpo humano ou animal irradia calor e energia. Essa energia é a força da vida chamada CH'I.

O que cura é a energia do Cosmos (Ki ou CH'I) que é direcionada pelas mãos do praticante. A palavra CH'I quer dizer "ar, respiração, vento, essência vital, energia ativa do universo..." CH'I ou KI é também a força vital da Terra, dos planetas, das estrelas, dos céus e das fontes de energia que afetam os corpos com a energia KI. A energia que sai das mãos do praticante de Reiki é uma energia transformadora, trazendo o KI da Terra e dos Céus para dentro do corpo humano e animal.

Na energia vital do Reiki, a pessoa que está sendo inicializada, fica com todos os canais de energia abertos e limpos de obstruções pela inicialização do Reiki. Na prática do reiki não há transmissão de nenhuma energia pessoal.


Nível I (Shoden): a pessoa é sintonizada por um mestre e aprende as técnicas de tratamento por imposição das mãos com o paciente presente. Esse nível capacita a pessoa a tratar de si mesmo, outras pessoas, animais e plantas.

Nível II (Okuden): O aluno aprende as técnicas de envio de energia à distancia, podendo tratar qualquer ser vivo, em qualquer lugar do planeta (ou do universo).

Nível III (Shinpiden): A pessoa se torna mestre, podendo sintonizar e ensinar outras pessoas, desta forma poderá acompanhar seus discípulos. Esse nível tem uma divisão: Mestre de si mesmo e Mestre de outras pessoas.

INDICAÇÕES DE REIKI:

- Diminuir a ansiedade e compulsão alimentar;
- Promover a tranquilidade;
- Aliviar dores e tensões;
- Estimular o bom funcionamento dos órgãos e a desinflamação dos nervos;
- Contribuir para a qualidade do sono;
- Ativar o funcionamento do sistema imunológico;
- Equilibrar as emoções;
- Melhorar a memória e concentração;
- Acelerar a cicatrização e a recuperação em cirurgias;

Por ser uma terapia alternativa, recomenda-se não abandonar os cuidados médicos da medicina tradicional.

Durante o tratamento típico, o praticante de Reiki coloca as mãos sobre a área determinada do corpo do paciente. As mãos são colocadas em 12 regiões do corpo, seguindo a seguinte ordem: Na cabeça, (sobre os olhos, no alto da cabeça, sobre a nuca e no pescoço); na frente do corpo (na altura da clavícula, no meio do peito, na boca do estômago, na altura do umbigo, na virilha e nas costas (próximo ao ombro, um pouco acima do meio das costas, na cintura e no final das coluna).

As mãos devem ficar sobre cada posição durante cinco minutos. A energia pode ser sentida como um formigamento, calor, frio, vibração. Com o tempo, a intuição guia as mãos dos reikianos sobre determinadas partes do corpo do paciente, principalmente por sentir-se seguro.
Sempre que as mãos de um iniciado tocam alguma coisa, a energia funciona, daí a expressão comum entre alguns reikianos: "mãos postas, Reiki ligado".  Por isso, ele pode ser aplicado até mesmo em movimento.

É importante lembrar que o reikiano é um facilitador de cura, porque, na verdade, ninguém cura ninguém. Ele é um canal de transmissão de energia que pode ajudar a pessoa a conquistar sua cura pessoal.

No inicio do tratamento é comum que ocorram reações curativas nas quais o paciente pode ter sensações como: intensificação dos sintomas, tonturas, náuseas, dores de cabeça, sono, cansaço, irritabilidade, vontade de chorar. Caso isso ocorra, é normal e saudável; é a forma pela qual o corpo está pondo para fora as toxinas físicas e psíquicas que estavam acumuladas e atrapalhando.

O Reiki favorece o desenvolvimento criativo, intelectual e intuitivo, promovendo consciência e autotransformação.

No caso de doenças graves, ele promove a redução dos efeitos colaterais de medicações. O tratamento de Reiki pode ser longo, porque ele primeiro dissolve as causas e depois os sintomas.

Sua utilização constante fortalece o sistema imunológico e alivia o estresse, pois combate e dissolve os bloqueios energéticos, ativando o funcionamento de células, glândulas e órgãos.

ENERGIA VITAL:

Para entender o processo de cura por meio de energia, é preciso reconhecer a existência de uma força conhecida como "energia vital", que envolve os seres vivos do planeta e está em todo o universo.

A energia Reiki é única e encerra em si mesmo a polaridade positiva (yang), a negativa (yin) e a neutra. Por não ser polarizada, é compatível com qualquer tipo de tratamento ou forma de terapia e até desenvolvimento espiritual paralelo.

O corpo humano possui canais de entrada e saída de energia, conhecidas na medicina oriental como chacras, e podem ser facilmente bloqueados por atividades na vida diária como estresse, vida sedentária, tensão ambiental, má alimentação, etc. Quando esses canais estão bloqueados, a falta de energia interfere no bom funcionamento dos órgãos e o emocional se fragiliza.

Nesta condição, a energia KI (energia vital) não consegue circular de forma perfeita, criando bloqueios e problemas de saúde, e a energia REI (energia Universal) também fica comprometida.

Quando um REIKIANO toca o corpo de outro ser, os átomos que formam esse ser automaticamente captam essas ondas de energia rei, na medida de suas necessidades. É uma energia curativa que passa pelos chakras do aplicador e, por suas mãos, para o paciente, que absorve a quantidade de energia que lhe falta. Como a energia vital e universal passa pelo aplicador, esse também é energizado.

Essa é a diferença básica entre do Reiki com qualquer outra terapia de cura que usa as mãos. Quem usa o Reiki está sendo um CANAL, não passando a própria energia ou simplesmente desbloqueando pontos com massagens.

Chakra da Coroa: Localizado no topo da cabeça, é visualizado como uma esfera de luz violeta ou branca, o seu desequilíbrio pode provocar problemas depressivos, desligamento, loucura, sentido de existência.

Chakra Frontal: Localizado na testa, é visualizado com a cor azul, índigo e seu desequilíbrio pode causar neuroses, problemas visuais, sinusites, dores de cabeça.

Chakra da Garganta: Visualizado como uma luz azul turquesa, e seu desequilíbrio pode causar problemas na garganta, ouvido, nasais, tireoide, fala, audição, dentes, brônquios.

Chakra do Coração: É a ponte entre os chakras superiores e inferiores, visualizado na cor verde. Representa o amor, e seu desequilíbrio pode causar problemas respiratórios e circulatórios, timo e sistema imunológico.

Chakra do Plexo Solar: Localizado acima do umbigo, deve ser visualizado com a cor amarelo dourado, está ligado ao poder pessoal, a auto-estima, seu desequilíbrio desencadeia: mágoa, raiva, ciúmes, complexo de inferioridade, interage com glândulas supra-renais, anemia, alergia, obesidade, diabetes.

Chakra do Abdomem: Localizado na região do umbigo, deve ser visualizado com a cor laranja. Corresponde à nossa forma de sentir e nos conectarmos com os outros, nos diz respeito à nossa sexualidade. É ligado aos órgãos reprodutivos sexuais, à bexiga. Seu desequilíbrio traz sintomas e problemas relacionados à reprodução, TPM (Tensão pré-menstrual), infecções e problemas urinários. 

Chakra Raiz: Localizado na base inferior da coluna, pode ser visualizado com a cor vermelha. Simboliza a sobrevivência, o sentido da família e a capacidade de cuidar do próprio corpo. Representa as pernas, pés, o esqueleto e o intestino grosso. Seu desequilíbrio pode causar doenças como artrite, obesidade, hemorroidas, ciática, problemas nos pés, joelhos.

OS 3 PILARES DO REIKI:

Gassho: A palavra gassho significa "duas mãos postas". Mestre Ushui considera um dos pilares do Reiki.

1º) Coloque as mãos em posição de prece, com seus dedos apontados para cima, e os polegares tocando o meio do peito, bem no chakra cardíaco, e feche os olhos.

2º) Centralize a atenção no ponto onde seus dedos médios se encontram.

3º) Procure não pensar em nada, esquecer tudo à sua volta; uma dica é acompanhar a respiração para não deixar pensamentos estranhos entrarem na sua concentração.

4º) Após atingir seu ideal, respire fundo e abra os olhos. Com o tempo, atingirá mais fácil a fixação nos dedos médios por mais tempo.

Reiji-Ho: Significa "indicação da energia reiki através de um método", é a ativação dessa energia por meio de um pequeno ritual. Uma prece, um pedido, uma oração.

1º) Na posição de Gassho, peça e faça que a energia Reiki flua através de você.

2º) Faça uma oração simples e pessoal, e guie suas mãos para o local necessário.

3º) Solicite que a energia Reiki guie suas mãos aos locais necessários.

Chiryo: Significa "Tratamento", é a continuação do processo.

1º) Após o reiji-ho, coloque sua mão no chakra da cabeça.

2º) Deixe sua intuição agir para um próximo passo, relaxe e sinta-se confortável.

3º) Dê liberdade à sua mão para que ela procure o lugar a ser tratado, sinta-se o canal da energia Reiki.
imagens acima e abaixo copiadas do site http://www.biolifestyle.org/
SHIATSU

Shiatsu é um método terapêutico japonês criado no fim da era Meiji (1868), a partir dos recursos de pressão dos meridianos com os dedos, que por sua vez, assim como o Do-in, também japonês, tem origem na teoria dos meridianos do corpo da Medicina Chinesa. A palavra japonesa Shiatsu significa pressão ("Atsu") com os dedos ("Shi").

O Shiatsu tem aplicações várias, como em problemas de rim, problemas com evacuação e até mesmo uma simples queimação de estômago, problemas psicossomáticos como depressão, baixa auto-estima, e uma infinidade de outras coisas.

O Shiatsu não é recomendado para infecções, doenças contagiosas, fraturas, varizes ou como terapêutica única do câncer, podendo, contudo, atuar como coadjuvante no tratamento deste. Deve ser usado criteriosamente nos primeiros três meses da gestação, uma vez que há pontos de pressão (tsubôs) contra-indicados para a gestante.

O fluxo da energia vital (ou Chi, chinês, e Ki, japonês) se faz por meio de canais no corpo humano conhecidos como "meridianos".

Em alguns pontos, esta energia pode ser interrompida por algum distúrbio, tendo seu fluxo prejudicado, gerando situações de excesso de energia ki ("Jitsu") antes do tsubô, e deficiência de energia ("Kyo") depois do ponto. No Shiatsu, os tsubô são pressionados para normalizar o fluxo da energia ki. Um meridiano que esteja com excesso de energia ki, ou seja, esteja Jitsu, se apresenta normalmente dolorido e tenso; já o meridiano com falta de energia ki, ou seja, que esteja Kyo, se apresenta indolor e é notada uma dor agradável ao tocá-lo, uma vez que, assim, se estimula o fluxo energético. Desta forma, o Shiatsu atua equilibrando os meridianos Jitsu e Kyo, normalizando o fluxo da energia ki.

Ao equilibrar e normalizar o fluxo de ki, propicia-se ao organismo as condições de bom funcionamento. As doenças seriam causadas pelo desequilíbrio no fluxo de ki. Assim, busca-se a cura das doenças pela interrupção do estado de desequilíbrio do ki.

A partir do conhecimento tradicional chinês/anglicano, sabe-se que o fluxo de energia no organismo segue percursos definidos por canais, de forma semelhante ao sangue pelas veias e artérias.

O canal de energia percorre todo o corpo, da cabeça aos pés, indo e voltando. Este canal da mancha possui segmentos, os chamados meridianos. Há doze meridianos pares, ou seja, existentes simetricamente dos dois lados do corpo. Há também dois meridianos ímpares, ou seja, únicos, que percorrem o eixo do corpo (este dois meridianos são conhecidos como "artérias").

Cada meridiano está relacionado à certas características orgânicas, psicológicas ou emocionais. Apesar de identificado pelo nome do órgão ou função a que se relaciona mais, não afeta exclusivamente apenas um órgão.

Os doze meridianos pares básicos são:
  • Pulmões
  • Mestre do Coração/Pericárdio/Circulação-Sexo
  • Coração
  • Intestino Delgado
  • Triplo-Aquecedor
  • Intestino Grosso e fino
  • Baço-Pâncreas
  • Fígado
  • Rins
  • Bexiga
  • Vesícula Biliar
  • Estômago
As duas artérias (meridianos ímpares) são:
  • o Vaso-Concepção, na parte anterior do corpo
  • e o Vaso-Governador, na parte posterior do corpo.



Próximo artigo: Outras Terapias







LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...