sexta-feira, 10 de junho de 2011

Estudo da Aura Humana - Parte II - Corpos Sutis


CONVIVÊNCIA ENERGÉTICA DAS AURAS

As auras são, na verdade, manifestações, reflexos, emanações dos corpos sutis.

É errado afirmar que uma AURA pertence a um corpo. Podemos afirmar que a aura é um sopro colorido emanado de um corpo sutil. Por isso podem ser lidas e interpretadas.

São padrões vibratórios, cada um com sua sutileza, que se interpenetram.

Uma aura não afeta a outra, embora saiba-se que uma reflete na emanação da outro. Uma dor de dente vai afetar o chakra que irá afetar o perietérico que irá refletir a dor emotiva na aura astral, que irá, também, se refletir na aura mental em menor escala. Por isso é importante não confundir corpo etérico com aura etérica, corpo astral com aura astral, corpo mental com aura mental e corpo causal com aura causal.

Cada corpo tem sua emanação energética oriunda dos corpos. Por isso os religiosos sempre dizem: Busquem a verdade dentro de si mesmo. Cada corpo está consciente na dimensão que sua evolução atingir. Nota-se que os corpos estão um dentro do outro, interpenetrados, como os planos dimensionais.

NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA

Cada aura é um reflexo de uma consciência especificada. Isto significa dizer que cada aura é o espelho de uma consciência, da alma ou espírito humano. 

Cada corpo é uma parcela do homem, e ele vive de acordo com sua evolução.

Os seres humanos, em sua grande maioria, vivem no nível de sua consciência astral; isto quer dizer que a maioria dos seres humanos vive pelas emoções, impulsos, não usando a reflexão em seus atos. Comparando esses níveis a um ser, poderíamos dizer que o ser humano, evolutivamente, vive entre a infância e a adolescência.

As manifestações mentais e causais no homem normal estão no estado embrionário.

Quanto à maturidade física, em termos físicos, emocionais, mentais e intelectuais, é atingida só aos vinte e um (21) anos porque, a cada sete anos um corpo sutil se forma. O corpo etérico e astral se completa dos sete (7) anos até os catorze (14) anos, os outros corpos estão sob forma de germes e vão se desenvolver conforme a vida que levará o ser humano (21 anos o mental).


OUTROS CORPOS

Do fragmento de uma rocha, vegetal, insetos e animais a todos os elementos básicos da natureza, tudo possui sua aura. Um sopro de energia é exalado por tudo que existe no universo.

Portanto, é de se observar que a aura de uma pedra é apenas etérica, de um vegetal etérica mais sutilizada; já os animais irracionais começam a criar uma aura astral, conforme a espécie. Ns colônias de insetos, por exemplo, a aura é coletiva, porque o espírito é coletivo, são emanações vinculadas a um centro. Um animal já é dotado da consciência de sua existência, da noção de pertencer a um grupo, mas é um saber instintivo, que não lhe permite fazer abstração.

Nos animais mais próximos dos homens, os domésticos, o papel do ser humano é fundamental para ajudar na evolução, na criação de uma consciência, através do carinho, do amor. Aliás, o amor é a chave mestra da evolução.

POR QUE LER A AURA?

CONSCIENTIZAÇÃO: A leitura da aura envolve um problema ético, não deve ser considerado um PODER. Não deve ser instrumento para dominar e sim para servir ao próximo. Por isso a pergunta: Por que e para que ler a Aura? – Para ajudar ao próximo, nas suas deficiências e fraquezas. Não para descobrir intimidades que, se estão ocultas, cabe a quem as oculta torná-las públicas, usando o seu pelo livre-arbítrio.

Neutralidade é uma regra de ouro para quem LÊ a aura.

CAMPOS DE ATUAÇÃO

Na psicologia, pode servir para alertar aos coléricos, ansiosos, nervosos, sobre uma conduta errada, até inconsciente. 

Para diagnosticar doenças, ver bloqueios energéticos, parasitismo, perceber as larvas astrais, mecanismos de doenças penetrando pelo astral e chegando até o etérico e penetrando no corpo físico.

É preciso salientar que o corpo etérico é uma cópia fiel do corpo físico; para um coração físico há um coração etérico. Nos outros corpos, esta cópia não é colocada em termos de cópias como entendemos. Existe, na realidade, um aglomerado energético ligado aos órgãos etéricos. Esses aglomerados são embriões dos órgãos etéricos e físicos. Quando o corpo físico deixa de existir, o corpo astral recria automaticamente um corpo análogo idêntico, por uma questão de necessidade. Essa reação é em cadeia e feita imediatamente após a morte.

Não são os olhos físicos que percebem a aura, mas o nervo ótico. As glândulas responsáveis são pineal (epífese) e pituitária (hipófise).

AS CORES

Esse é um dos pontos mais polêmicos da Leitura da Aura. A leitura da aura é precisa, mas a divulgação de interpretações variadas faz com que as pessoas tenham várias informações de uma determinada cor. As cores não são estáticas, possuem nuances, transformações, formas, brilho e tonalidades, além de combinações com outras cores. Devido a infinidade de nuances, cabe pedir às pessoas que parem de dizer: ”Essa cor significa tal coisa ...” – Isso é querer simplificar, e acaba gerando contra-sensos. Outro detalhe que deve ser observado é classificar uma cor como NEGATIVA. Uma cor não é negativa por si só. Existem nuances, limpidez, tonalidades que devem ser levadas em consideração na hora de uma leitura. Exemplo: O vermelho poderá significar tanto espírito de liderança como cólera. Portanto, cuidado com as tabelas sobre as cores das auras.

Obs: Conforme o grau que o clarividente usa, pode-se perceber as auras gradativamente. Conforme o treino, pode-se perceber só a aura etérica, ou só a astral, e assim, sucessivamente, as outras.

VERMELHO: O vermelho é a cor que mais se presta à interpretações errôneas, devido às suas variantes.

O vermelho vivo é sinal de dinamismo, quando o encontramos em faixas vaporosas em torno da cabeça; esse dinamismo é de temperamento e não físico; o físico usa a mesma cor, porém localizado ao longo dos membros e na cintura. O vermelho vivo, claro, é a cor dos grandes líderes, generais, comandantes, líderes sindicais, dirigentes. Porém combinadas com outras cores, como o dourado, o azul (direcionado ao lilás), o amarelo salpicado com vermelho, indica líderes religiosos.

Porém, como forma de nuvens em todo o corpo, mostra uma personalidade forte, com crises de humor, principalmente se mostrar feixes desiguais na região craniana. Centelhas de um vermelho muito intenso é ansiedade; mais fraco, tendendo para um rosado, indicio de nervosismo.

O vermelho Carmin mostra força de comando, liderança, principalmente se este vermelho estiver em forma de brumas na forma superior do corpo, e será ativa se a cor tomar forma de raios luminosos. Uma superabundância desse vermelho na aura denota autoridade abusiva, e se tiver leves traços do cinza antrácito, teremos o quadro de uma pessoa déspota.

O vermelho muito escuro situado na fronte e em cada lado da nuca põe em evidência a cólera. Quando o cinza a ele se acrescenta, temos um quadro de impulsos de violência. A emanação de uma energia deste porte pode criar uma brecha no etérico e vir a causar doenças psíquicas.

A presença do Vermelho Tijolo ou ferrugem na radiância astral denota a avareza, egoísmo. Um vermelho amarronzado, quando presente num órgão do corpo (como uma mancha), revela a formação de um câncer. Portanto, é preciso ter cuidado na leitura, sempre lembrando que a doença se manifesta nos corpos mais sutis e vai descendo gradativamente até o físico.

A prática tem demonstrado que os cânceres nascem no plano mental, portanto, a Aura do corpo Mental vai apresentar essa mancha, mas como é sabido, não existe um fígado específico no corpo mental, o que dificulta a leitura precisa, a não ser que o clarividente tenha muita prática.

Porém, essa mancha vai se formar na Aura Astral no devido órgão atingido, e isso pode levar meses e até anos. O processo pode ser interrompido se a pessoa mudar atitudes.

Outros vermelhos vivos denotam orgulho; com o amarelo, denota vontade de agradar. Pode-se notar que o orgulho, quando levado a um excesso, se torna prejudicial; da mesma forma, a vontade de agradar excessiva pode virar hipocrisia, e tudo é demonstrado pelas tonalidades e misturas. Notem a complexidade de ler e interpretar uma aura. É preciso ler centenas para começar a entender e aprender sem cometer gafes.

PRATEADA- O canal da Cura : O indivíduo de aura prateada é um curandeiro natural. Utiliza energia para transformar luz em raios que curam. É o meio ou o canal por onde a cura passa. Consegue aumentar seu poder pessoal, físico, a ponto de poder limpar as mentes e as almas, para que a cura seja possível. Seu maior desafio é aprender a lidar com esse dom de curar. A fim de não chamar a atenção sobre si, o indivíduo de aura prateada se torna o camaleão do espectro, assimilando outras cores em sua aura para se ocultar ou para se proteger.

No entanto, ele prejudica seu próprio campo energético com isso, sofrendo as consequências. Esse ato também confunde os outros. Seu maior desafio é aprender a se conhecer e descobrir seus dons especiais, para não precisar disfarçar-se com uma camuflagem emocional.

O indivíduo de aura prateada sente o meio ambiente físico como algo duro, hostil e frio. É fisicamente doloroso para ele olhar para qualquer coisa realista. É fisicamente sensível a barulhos e qualquer outra forma de poluição. Gostaria que o mundo fosse como os palácios antigos de seus sonhos e fantasias. Como não é, fica horrorizado.

Na tentativa de criar no mundo real a perfeição que visualiza em sua mente, fica obcecado com limpeza e organização, muitas vezes. Precisa de muito espaço aberto, sobretudo dentro de casa.

O indivíduo de aura prateada tem, muitas vezes, a sensação física de estar sendo usado, desse modo é ciumento de seu espaço privado, onde só admite a família e os amigos mais íntimos e chegados. Não se abre a grandes reuniões porque não se sente à vontade com a ideia de invasão de seu espaço íntimo. Trabalhar a terra para este ser é estabilizador e satisfatório, e por isso o aura prateada pode-se fazer valer desse exercício para se sentir melhor.

AZUL - De uma maneira geral o azul sugere paz, mas a complexidade está na tonalidade e nas misturas. O azul celeste: Quando vivo, testemunha uma grande honestidade e um temperamento agradável. Principalmente quando ele constitui a cor básica da aura astral, ou pelo menos ocupa a parte superior do corpo. Porém quando o azul se torna pálido, o seu dono se interioriza em demasia, tendo como defeito uma timidez exagerada. Quando claro e metalizado, a pessoa tem tendência a ser influenciada; simples focos desta cor simboliza indecisão.

O azul Lavanda inclina à meditação, à prece, à interiorização; se salpicado com amarelo fosco quer dizer recato e virtude afetada. Acompanhado do rosa vivo quer dizer piedade excessiva. 

O azul escuro é das pessoas voluntariosas, porém raramente aparece em toda a aura, sendo mais encontrada na parte superior, próximo ao chakra coronário e também é das pessoas trabalhadores incansáveis. Quando esta cor se mistura com o vermelho carmim denota teimosia, obstinação. Quanto maior a incidência desse vermelho, menos escrúpulos terá essa pessoa.

Com a presença do cinza perto da cabeça, denota falta de coragem, pessimismo. Quando esse cinza for para o amarelo ocre, a tendência é à desconfiança.

AMARELA : O amarelo alaranjado denota grande espiritualidade, muito elevada. É a cor da sabedoria, do ideal e da ação luminosa.

O amarelo Limão já denota a razão e o discernimento, sempre levando em consideração que o amarelo, por si mesmo, revela atividade cerebral, podendo, por isso, gerar manchas de vermelho fosco, o que revela ideia fixa.

O amarelo pálido revela vacilação; quanto mais próximo de um amarelo esbranquiçado acinzentado revela a inatividade e a indecisão. Quando chamas de ferrugem aparecem revelam a covardia. Quando povoadas por manchas marrons revelam o materialismo, e com o verde-cáqui revelam o egocentrismo.

Quando o cinza antrácito e a ferrugem aparecem, essa alma produz pensamentos com essas cores, significando desequilíbrio, pouco digna de confiança, extrema versatilidade para criar mentiras, diplomata em suas relações.

NUCA LUMINOSA: Para concluir, deve-se observar, em todos os seres humanos, na região da nuca, que toda aura exala um amarelo de média intensidade, formando uma meia-lua em forma de nuvem; isso, simplesmente, é o ato de pensar, se concentrar, se preparar para uma prova. Porém, em determinadas pessoas, essas cores são explosivas, com raios, centelhas de cores brancas e amarelos vivos, quando existe uma atividade intelectual. É na sua superfície que as formas-pensamento se manifestam.

VERDE: O verde é a mistura do amarelo com o azul, portanto, a atividade e a vida espiritual é mais interiorizada, desviada para ajuda ao próximo.

O verde vivo denota a escolha para um caminho interior, que acaba abrindo-se ao próximo. 

O verde-Maçã: De um ponto de vista global denota a capacidade de doação aos outros. É a cor do dom para a medicina, para a cura. Na educação, quando um azul celeste se junta a ele, indicam a sinceridade, a autenticidade. 

O verde elétrico: Quando se estende pelos braços até o chakra da palma das mãos, traz consigo a certeza do magnetismo, da cura pela imposição das mãos.

As mãos etéricas e/ou astrais verdes são mais purificadoras e reenergizantes. Jardineiros ou pessoas que têm a mão boa para o plantio possuem essa aura nas mãos. O azul elétrico junto indica coragem indo até o sacrifício, comum em enfermeiros tenazes com seus pacientes.

O verde esmeralda, a cor dos curandeiros (grandes médicos), terapeutas, agem indiferentemente do seu ganho material. Age tanto na medicina da alma como na física.

Porém, quando o verde perde a força e fica pálido, tende à hipocrisia, junto com o amarelo fraco e fagulhas de ferrugem.

Quando atravessado por faixas luminosas de vermelho de média intensidade denota equilíbrio, responsabilidade, ação determinada.

O verde tília denota morosidade.

VIOLETA: Uma das cores mais raras de ser encontrada no estágio atual da humanidade, pois é a cor da espiritualidade elevada ativa nos seres de luz. O azul e o vermelho na sua pureza produzem o violeta.

Próximo ao amarelo alaranjado denota maior profundidade na meditação.  Também se encontra nas pessoas feixes, fagulhas, salpicados dessa cor. As pessoas que carregam esses aspectos possuem o misticismo; quando salpicado de amarelo e violeta denota alta intelectualidade e espiritualidade ao mesmo tempo.

O violeta pálido e/ou lilás revela um interesse menor à religiosidade. 

Quando acompanhado de nuvens ou nuances cinzas indicam um dom prejudicado pela falsa devoção, muito comum nas pessoas que exploram a fé dos outros, sempre pensando no seu bem comum, dinheiro e exploração.

Conforme a tonalidade do cinza ou até se existir mais cinza do que o lilás pálido, poderá chegar à ingenuidade, crença fácil em milagres e outras ondas místicas.

LARANJA: O alaranjado é uma cor secundária, uma ramificação do vermelho. Quanto voltado mais para o amarelo denota autocontrole. Quando voltada para o vermelho denota uma pessoa ativa, prática. Porém, o laranja castanho significa preguiça; a mesma cor na parte etérica quer dizer problemas nos rins.

Significa ATIVIDADE, pois une duas potências: o amarelo + vermelho. Atesta o lado prático, o partir para a realização. Ação física, dinamismo.

É a cor da BOA VONTADE ATIVA, da lealdade. É o signo de uma espiritualidade concreta na vida cotidiana. Porém, quando esse laranja se suja com ferrugem, a preguiça se torna evidente. Com amarelo pálido junto o desinteresse, com o verde garrafa escuro revela o rancor.

ROSA: É sempre a falta de maturidade, a cor da infância, da vontade de brincar, rir. Sempre encontrada em crianças e adolescentes.

Nas auras coletivas, o ROSA se faz presente no ovo áurico do grupo que ri e conta piada, brinca e dança. Quando a brincadeira se torna agressiva, tons de vermelho se fazem presente. Quando o amarelo acidulado se faz presente, o egocentrismo também.

Cinza com fagulhas de azul frio e escurecido, o medo se faz presente.

Isso não quer dizer que devemos fugir do rosa, porque a alegria o contentamento produzem tons rosas nas auras e esse sentimento deve sempre ser cultivado.

CINZA: No conjunto, essa cor vem adicionada a outras, sua presença é uma forma de um véu, até mesmo fraca vibração; doença do organismo, no caso da aura etérica e cansaço de um sentimento produzido pela aura astral. Mas como todas as cores possuem variantes, não seria diferente com o cinza. O cinza escuro tende à depressão, porque a tristeza vem com o cinza. O cansaço produzido por excesso de trabalho traz o cinza, porém sempre passageiro; desaparece após o descanso e a recarga do corpo astral das células pela energia prânica.



PRETO: A não luz, o caos negativo do pensamento.

Essas massas negras são raras no cotidiano, são pessoas com energia destrutiva, principalmente da autodestruição, do suicídio, doentes psíquicos.





BRANCO: O branco é a cor da pureza; porém, a gama de várias cores em circulação constante produz o branco. Dentro das leituras das auras o branco cristalino é o símbolo da pureza. Mas tem o branco pesado, leitoso, que significa falta de idéias, pessoa mal resolvida, que procura a si mesmo, insatisfação, o branco por falta de luz. O branco cristalino com dourado é Crístico, búdico.




SINAIS:  Para os que vêem e lêem a aura humana, se não tiver a tecnicalidade de avaliar e interpretar, de nada valerá o seu dom. Além das cores, cuja complexidade é imensa, ainda tem os SINAIS e as FORMAS de pensamento. Portanto, cores justapostas, sobrepostas, não são suficientes para uma leitura; é preciso o reconhecimento.

PROTUBERÂNCIAS: Há zonas do corpo onde existem excrescências acinzentadas; trata-se de estagnações energéticas, ou seja, resíduos da energia vital que o corpo não conseguiu expelir, se desfazer naturalmente. Obesos que não praticam exercícios possuem, na área do chakra umbilical, verdadeiras massas protuberantes de um cinza. A presença dessa anomalia não permite a livre circulação do prana. Sensações de contrações, dores de cabeça, dor nas articulações do corpo: nota-se essas excrescências no cotovelo, punhos, ombros, na parte de trás dos joelhos, na virilha, na cintura. Uma excrescência positiva é vista numa cor azul prateado entre os olhos, coração, na garganta ou orelha, indício de clarividência, clariaudiência, mediunidade.

CAVIDADES: A visualização de cavidades ou “buracos” na radiância etérica é objeto de preocupação, sinal de que não existe energia no lugar, de espécie alguma. Em casos graves, pode levar à falência de órgãos, conforme a cor que circunda, como exemplo ataque cardíaco. Mas a existência de uma fratura pode acusar uma falha em forma de buraco.

FUGAS: Paralelamente aos “buracos” na aura etérica, há fugas de energias vitais, como se fosse uma fumaça saindo de uma chaminé, semelhante a um gêiser; trata-se de perda energética, perda de força, quando essa fuga é da cor acinzentada ou branco sujo. Se for nos chakras e colorido de uma cor viva, principalmente nos chakras magnos, esplênico e laríngeo, nos pés e palma das mãos, então é um ato expelidor normal.

Mas não sendo nestes locais, pode-se dizer que é uma perda e deve ser cuidado para não produzir agravamentos, pois enquanto forem fissuras, brechas, podem ser cuidadas e tratadas (mais perceptíveis com o corpo visto de perfil).

MANCHAS: As manchas são sempre sinais de desequilíbrios. Uma mancha é, em geral, escurecida, fora de foco, em forma de nuvem. Nos casos etéricos, essas nuvens difusas acinzentadas, podem indicar má digestão, quando na região do estômago; quando de um cinza escurecido é um problema já crônico, de proporções enraizadas, como úlceras gástricas, vesícula biliar entupida, cálculos renais.

As manchas são conhecidas mais popularmente como BLOQUEIOS energéticos. 

NERVURAS: São sinais de desordem e variam do cinza até o vermelho marrom escuro. Começo de um problema maior, fase ideal para combater um mal maior, como uma fuga ou cavidade.

CLARÕES E CENTELHAS: Os clarões são manifestações astrais e mentais, raramente se vê no plano etérico. Por isso está ligado aos sentimentos, como raiva momentânea, alegria rápida, gargalhada, descoberta de uma resposta desejada.

Já as centelhas ou faíscas etéricas rosadas podem denotar infecção (inflamação), conforme a cor. Na aura emocional um vermelho pode denotar problemas financeiros.

FORMAS-PENSAMENTO: As formas pensamentos geram diversas formas no ar, sempre de natureza astral e mental. Podemos ver acima das cabeças humanas triângulos, quadrados, caixas, lanças, relâmpagos, esferas, seres, formas ectoplásmicas. Podem durar segundos. As idéias fixas alimentam formas que geram um círculo vicioso. Alimentando preocupação e raiva, podemos bater na mesma tecla, dando origem à uma forma fixa, que pode durar horas, dias, meses e até anos, em alguns casos mais graves. 

As Cores e seus significados pela Angeologia

Branco = Pureza, Imaculado, Infecundidade, transmutação


Amarelo = Trabalho com o Cristo, proveito, forças do Cristo cooperando na ascensão, há de haver esforço.

Azul = Amor, Satisfações, Saúde, Arrependimento, Lucidez.

Rosa= Bons Sentimentos, harmonia, Carinho.

Cinza= Temor, Angústia, Medo, indecisão, covardia.

Violeta ou lilás = Renúncia e espiritualidade máxima, Amadurecimento espiritual.

Verde = Introversão, auto observação, Esperança, muitos segredos serão revelados.

Vermelho = Paixão, Ardor, Luxúria, intensidade, infradimensões, involução.

Escarlate = Tragédias, Violência, Ira. Traição.

Preto = Negativo, fracassos, forças sinistras.

Próxima parte: André Luiz: sobre a aura humana

Compilado por Beraldo Lopes Figueiredo


Fonte: Corpos de Luz – Leitura da aura e Curas pelo Espírito – Anne e Daniel Mourois-Givaudan

Os Chakras e os Campos de Energia Humanos - Shafica Karangulla M.D. Dora Van Gelder Künz.








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...